CulturaEventosPelotas

Fabrízio expõe na Sigmund Freud

O Espaço Arte Chico Madrid da Sociedade Científica Sigmund Freud convida para no dia 6 de junho de 2018 (quarta-feira) às 19h a inauguração da exposição “Quando eu me desloco eu costuro a cidade: pespontada sob a poética de um artista visual e figurista”, de Fabrízio Rodrigues – mestrando do PPG em Artes Visuais da UFPel. E às 20h a fala do artista sobre seu processo criativo.

O endereço é Rua Princesa Isabel, 280 conj. 302 (esquina Gonçalves Chaves) e a exposição permanecerá até o dia 29/06/2018 em horário comercial.

A exposição, segundo Fabrízio

“Quando me desloco eu costuro a cidade: Pelotas pespontada sob a poética de um artista visual e figurista” é uma exposição em que o caminhar é meio condutor para obtenção do trabalho artístico, além das inserções das minhas memórias, vivências pessoais e profissionais.

Tenho como uma das técnicas para desdobrar meus questionamentos artísticos o bordado, elemento que possuo conhecimento técnico desde os nove anos de idade. As minhas obras possuem vestígios dos mais de dez anos que realizo a função de figurinista.

Outros fatores relevantes na minha produção artística são as histórias contadas por Andrea Mazza Terra durante o meu processo de criação, assim como a Dragtopografia que realizei na cidade de Pelotas, como meio para reconhecer a cidade através das Drags Queens.

O meu trabalho artístico também percorre pelos universos queercamp kitsch, assumindo o exagero nas cores, dobras e ícones comuns dos anos oitenta. Tenho como referencia as obras dos artistas Joãozinho Trinta, Clóvis Bornay, Arthur Bispo do Rosário, Jorge Macchi e Flávio de Carvalho.

Durante meus deslocamentos por Pelotas, a cidade começou a me fornecer o briefing para a criação, anteriormente, comum a minha profissão de figurinista, o diretor do espetáculo me direcionava no fazer de um figurino. Agora quem me ordena o que fazer, quem me direciona, é a cidade.

A cidade se expressa, grita, impulsiona, sempre nos mostra algo. O caminhar direcionado me proporcionou um olhar queer e carnavalizado para as coisas da cidade.

As obras apresentadas são resultado durante minha pesquisa no Programa de Pós-Graduação em Artes Visuais da UFPel, vinculado ao Grupo de Pesquisas Deslocamentos, Observâncias e Cartografias Contemporâneas – DESLOCC, coordenado pela Profa. Dra. Eduarda de Azevedo Gonçalves”.

Tags
Ver Mais

Conteúdos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Verifique Também

Close
Close