EditorialHistórias TopPelotas

Leite conhecia ou não conhecia Waldomiro?

De repente, por motivos estranhos, como que acordamos para o fato de que Pelotas, que às vezes parece um lugar isolado, fechado em si, faz parte do Brasil. Tivemos a ajuda nisso da Polícia Federal e de alguns promotores de justiça.

Nesta semana 40 policiais da Operação Dominus saíram à rua em viaturas para cumprir uma dezena de mandados de busca e apreensão, dois deles nas casas e gabinetes dos vereadores Waldomiro Lima, do PRB, e Ademar Ornel, do DEM. Foi uma ação parecida com as da Lava Jato, que estão se tornando populares.

O trabalho da PF é marcante, pois ocorre de repente, com policiais saindo em viaturas e carros com vidro fumê antes que o galo cante, alguns possivelmente um pouco sonados, pensando “lá vamos nós de novo”.

Waldomiro chegou a ser detido porque os policiais encontraram com ele um revólver calibre 38 sem registro de posse, arma clandestina. Pagou fiança, saiu livre e disse que a arma é uma herança do pai.

A polícia e a procuradoria investigam a suposta ocorrência de fraudes na concessão de unidades do Programa Minha Casa Minha Vida para a faixa 1, pessoas mais pobres, e na regularização de lotes às vésperas da eleição de 2016, da qual Waldomiro, Ornel e Paula Mascarenhas, sucessora de Leite, saíram vitoriosos.

O programa é administrado pela prefeitura, com anuência da Caixa Econômica.

Na prefeitura, o MCMV ficou aos cuidados da Secretaria de Habitação e Regularização Fundiária, criada pelo então prefeito Eduardo Leite, que nomeou para dirigi-la uma pessoa indicada por Waldomiro, o biólogo Ivan Vaz.

Ivan é filiado ao mesmo partido de padrinho.

Waldomiro, por ele mesmo

Conheça a trajetória do vereador Waldomiro Lima

Publicado por Vereador Waldomiro Lima em Segunda, 4 de junho de 2018

[Pausa]

A investigação segue em curso. Não há condenados ainda. Waldomiro deu coletiva se dizendo inocente e pondo a culpa em inimigos políticos “imaginários”, já que não citou nenhum. Ivan estava junto e também alegou inocência.

Vale comentar, porém.

Qual sentido há em se criar uma pasta da responsabilidade da Secretaria de Habitação e Regularização Fundiária, como fez o ex-prefeito, e entregá-la ao afilhado político de um vereador sem formação e preparo na área? Como se explica dar ao vereador direito de indicar um agente público igualmente sem formação e preparo para a função?

Pelotas não é uma cidade grande. Todo mundo se conhece ou pensa que conhece, ao menos faz uma boa ideia.

Waldomiro pode ser honesto, mas nos bastidores tem fama de ser “populista”, um modo de ser que, ao menos em discursos, os tucanos consideram vulgar. Já Populismo combina com regularização fundiária e entrega de apartamentos para gente pobre, famílias sempre numerosas.

Leite não conhecia Waldomiro? Ou conhecia? Não conhecia Ivan? Ou conhecia? Eis as questões.

O que se sabe por ora é que o ex-prefeito e sua vice entregaram títulos de posse de lotes e de unidades residenciais junto com eles. Tiraram também fotos para festejar e comprovar a entrega.

A primeira vez que Leite e Waldomiro oficialmente cruzaram o caminho um do outro foi quando Leite se elegeu para a Câmara, onde Waldomiro já ocupava cadeira. Quando o tucano presidiu a Câmara, Waldomiro foi primeiro-secretário da Mesa Diretora.

Leite, Paula e Waldomiro, detido pela PF na Operação Dominus
Tags
Ver Mais

Conteúdos Relacionados

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Close