O primeiro coxinha do Brasil

Fernando Gabeira, no artigo Coxinhas e Mortadelas: “Coxinhas e mortadelas, na verdade, formam uma oposição até bem humorada. Uma oposição entre carne branca e vermelha que talvez viaje no nosso inconsciente antropofágico.

Hans Staden, um mercenário alemão que passou nove meses entre os tupinambás, foi certamente o primeiro coxinha da história. Quase o comeram. Escreveu um livro que arrebatou a Europa, um best seller para a época.

Nos dias atuais, a sublimação do desejo de devorarmos uns aos outros não deixa de ser um avanço.

No entanto, o quadro muda quando os setores mais radicais no espectro usam e abusam da expressão fascista e comunista.

Tanto o fascismo como comunismo, cada um no seu estilo, deixaram milhões de mortos, em regimes onde a liberdade também foi sepultada”.

Aqui o link para o artigo inteiro.

Share:

Author: Da Redação

Obrigado por participar.