Comunicado do NOVO-RS sobre manifestações no País

Nós do NOVO Rio Grande do Sul estamos acompanhando com muita atenção as manifestações e reivindicações que estão acontecendo em todo o Brasil nos últimos dias.

Compreendemos e compartilhamos da indignação pelo alto custo dos combustíveis e, principalmente, a carga tributária que asfixia os brasileiros. Temos hoje uma maioria política que não representa ninguém, exceto a si próprios.

A partir desse sentimento de frustração e indignação, conclamamos nossos filiados e apoiadores a reagirem como sempre esperamos que quaisquer entidades e membros da sociedade façam: com respeito aos valores maiores, como as liberdades individuais, com visão de longo prazo, respeito ao trabalho e, sempre com racionalidade, propostas factíveis, aproveitando da oportunidade para discutir e erradicar as reais causas dos inúmeros problemas que assolam a população.

Entendemos que há várias razões para o alto custo dos combustíveis, sendo a principal a alta carga de impostos, algo necessário para manter privilégios de políticos. O dinheiro para o imoral fundo partidário/eleitoral, apenas um dos inúmeros indecentes mecanismos de manutenção do poder por caciques de partidos, é uma das excrecências que hoje precisa ser financiada pela população. Os privilégios surreais como verbas de gabinete nababescas, os cargos para o apadrinhados políticos, os auxílios-paletó e moradia, a corrupção que assola o país acabam por virar impostos que só podem ser pagos pelo cidadão trabalhador, seja caminhoneiro, empresário, operário, policial ou professor.

Sem reduzirmos os gastos públicos não seremos capazes de reduzir a carga tributária e não conseguiremos efetivamente baixar os custos dos combustíveis. Sem privatizarmos as centenas de empresas estatais, autarquias e fundações, manteremos funcionando os incentivos que levaram à gigantesca destruição de valor da Petrobras. Sem abrirmos os setores da economia e sem rompermos com os monopólios, não conseguiremos reduzir os custos para o cidadão.

Em resumo, se não focarmos o Estado nas suas funções prioritárias de segurança, educação e saúde, não conseguiremos ter o retorno esperado de um governo funcional. E foco significa escolhas, significa quebrarmos com a crença de que o Estado tudo proverá.

Como acreditamos antes de tudo no exemplo, cobramos de nossos atuais representantes eleitos que façam política respeitando o dinheiro dos pagadores de impostos. Com apenas quatro vereadores eleitos, já economizamos mais de quatro milhões de reais no primeiro ano de mandato em verbas de gabinete e cargos não nomeados, que se somam aos três milhões de fundo partidário recebidos e que o NOVO se recusa a utilizar. Com uma bancada de deputados, a economia será muito maior, e o exemplo será tão claro que não poderá ser ignorado.

Nós não nos furtaremos de participar da discussão e da construção da solução dos problemas estaduais e nacionais que são graves e urgentes e de cobrar as reformas e mudanças difíceis para toda a sociedade. Sabemos que povo que não tem virtudes acaba por ser escravo, e usaremos o NOVO como ferramenta para transformar nossas virtudes no orgulho que uma vez tivemos. Estamos e estaremos aqui, ajudando a renovar tudo nas eleições de 2018.

Share:

Author: Da Redação

Deixe uma resposta