OpiniãoPelotas & RS

Secretária Ana Costa deveria pedir demissão

A secretária de Saúde deveria pedir para deixar o cargo. Ana Costa pode não ter feito nada de errado. Mas não foi capaz de impedir que o errado acontecesse. As providências oficiais tomadas logo que as denúncias vieram à tona na imprensa e na Câmara de Vereadores apontam para a veracidade dos fatos, ainda que parcial, assim como algumas declarações da secretária.

Primeiro foram as denúncias de desvio de combustível e adulteração da quilometragem de ambulâncias do Samu. Os denunciantes dão conta de que há quatro meses o governo foi informado do problema, mas nada fez. Ana admitiu ter ciência. Contudo, só quando o caso estourou – agora – é que a prefeitura anunciou a “abertura de uma sindicância”.

De Nova York, onde faz um curso em gestão pública na Universidade de Columbia, patrocinado pela organização parceira Comunitas, prefeita Paula Mascarenhas também mandou exonerar o responsável pela gestão de frotas de veículos da Secretaria de Saúde.

A decisão de demitir Pablo Nulien Gularte antes da sindicância foi sobretudo política. Tudo que o candidato ao Piratini Eduardo Leite não precisa é de denúncias contra tucanos da base reverberando na campanha eleitoral sem que o governo tenha algo a responder aos adversários e à população, ainda mais se tratando de uma área sensível e precária como a da Saúde.

Paula, diga-se, está acompanhada em Nova York do candidato Leite. O destino de Gularte foi traçado nos Estados Unidos. Não deixa de ser chique.

Certamente a prefeitura considerou melhor correr o risco de ver Gularte acionar judicialmente a Municipalidade, por eventual dano moral, do que ver o assunto explorado negativamente na campanha, sem poder contrapor argumentos de defesa; daí a intempestividade da demissão.

É uma leitura lógica, confirmada num segundo episódio, uma nova denúncia, mais grave, feita hoje. Ei-la: o laboratório contratado do Município para fazer exames de Papanicolau estaria realizando exames por amostragem e não na totalidade, como deveria. Segundo a denúncia, há seis anos 99% das mulheres que solicitaram preventivos de câncer estariam recebendo resultados de “negativo para Papanicolau”, sem que o exame tenha sido feito de fato.

O que se deu em seguida à divulgação deste caso?

Ana admitiu ter recebido a denúncia há três semanas (os denunciantes falam que o caso foi levado ao conhecimento oficial há mais tempo), mas observou que foi uma denúncia “informal”, ou seja, sem registro na Secretaria. Com isso, deu a entender que, por questão de formalidade, não se interessou em investigar um assunto grave de pronto. Ao mesmo tempo – por coincidência – informou agora que há em curso um processo de seleção para novos laboratórios.

Nos dois casos, a prefeitura, embora ciente das denúncias, silenciou sobre elas. No segundo caso – mais grave – os sinais indicam que o governo, embora em silêncio, tomou alguma providência. É o que faz supor a abertura – sem alarde – de novo certame de seleção de laboratórios.

Provavelmente por estar preocupada com abalos políticos e eleitorais, o Executivo não deu publicidade à decisão de abrir um novo certame, muito menos aos motivos. Ao agir assim, sendo confirmadas oficialmente as denúncias de exames falsos e de que a prefeitura sabia da fraude, a prefeitura terá neglicenciado a saúde de milhares de pacientes.

Etiquetas

Artigos relacionados

Um Comentário

  1. Um absurdo o que está ocorrendo em Pelotas. A Secretária, ao não ter aberto investigação de pronto, está colocando interesses particulares (sua gestão) e partidários ( escândalo em época de eleição ) acima dos interesses da população. Os dois casos são crimes, caso sejam confirmadas as denúncias. Mas o segundo (fraude de exames) é crime contra a vida e assim deve ser tratado.
    A Secretária se tivesse um mínimo de altivez, deveria pedir sua exoneração ou a Prefeita que tome atitude condizente com a gravidade dos fatos.

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: