Caso dos exames de pré-câncer: mulheres insensíveis com mulheres

Djalma Cerezini Filho √

Fomos surpreendidos pela triste notícia que atingiu de forma contundente muitas mulheres pelotenses. Este fato aterrador dos exames pré-câncer deixou todos de cabelo em pé. Fato este agravado pelo alerta feito pela equipe de saúde há mais de um ano, isso mostra que a administração pelotense não se preocupou, como deveria.

É comum atribuir-se erros graves a subordinados, porém, normalmente os subordinados, principalmente os subordinados do setor público, costumam refletir pensamentos e atitudes de seus superiores.

Os primeiros alertas foram feitos ainda na administração de Eduardo Leite, fato que reitera meu entendimento de que os CCs do serviço público refletem o descaso de seus superiores.

Agora de quem é a culpa, quem são os responsáveis, quem irá reparar os possíveis danos causados por este descaso? A cabeça da secretaria de saúde (afastada temporariamente) já “rolou”, ao menos em termos até aqui, mas será que somente ela foi a culpada?

Fiquei extremamente triste e surpreso ao verificar que as mulheres que administram Pelotas seguem o mesmo roteiro das mulheres que administravam o Brasil, ou seja, se utilizam da prerrogativa de serem sensíveis, de terem mais tato, de serem mais atenciosas que os homens no trato da coisa pública… Ledo engano, estão se mostrando tão despreparadas quanto as mulheres que estavam envolvidas com a administração pública nacional.

É triste que duas mulheres, a prefeita e a secretaria de saúde, não tenham tido sequer consideração com as mulheres pelotenses num tema tão importante e sensível como este.

De nada adianta atribuir culpa a uma ou outra pessoa, tanto a prefeita como secretária são, sim, culpadas pelo acontecido, as duas são responsáveis pela gestão e fiscalização dos recursos da saúde. Não adianta agora querer crucificar somente uma.

Os nobres vereadores também não ficam atrás. De uma digamos urubuzisse gritante, agora querem tirar partido da ocorrência e assim obter ganho político perante a população chocada com tal situação.

O mais interessante é que alguns vereadores que estão à frente desta CPI são os mesmos que fizeram um acordo para que a CPI do caso da utilização indevida das moradias do Minha Casa Minha Vida acontecesse somente após as eleições, ou seja, não há comprometimento com o coletivo e sim com interesses individuais.

Author: Da Redação

Deixe uma resposta