Má notícia para Jairo Jorge no dia em que lançou sua candidatura a governador

A desembargadora federal Vivian Josete Pantaleão Caminha deferiu liminar à Ação Civil Pública de Improbidade Administrativa, ajuizada pelo Ministério Público Federal contra  o ex-prefeito de Canoas Jairo Jorge (PDT), candidato ao governo gaúcho, e mais Lucia Elisabeth Colombo Silveira (vice-prefeita de JJ), Marcelo Bosio (ex-secretário da saúde de JJ na prefeitura), Leandro Gomes Dos Santos (adjunto na Secretaria de Saúde) e a empresa GSH, de Gestão e Tecnologia em Saúde.

A justiça determinou a indisponibilidade solidária dos bens de todos até o montante de R$ 16,4 milhões.

A ação aponta irregularidade na contratação sem licitação da empresa GSH pelo Município de Canoas, para prestação de serviço de agendamento de consultas pelo Sistema Único de Saúde, no período em que Jairo Jorge fera prefeito de Canoas. JJ e os demais podem recorrer judicialmente.

A má notícia para JJ chega no dia em que lançou sua candidatura a governador, nesta quinta-feira.

Jairo Jorge também teve seus bens bloqueados em agosto de 2017, por irregularidades na merenda Escolar.

Share:

Author: Da Redação

Deixe uma resposta