Editora Abril demite mais de 500 funcionários

O Grupo Abril começou a fazer um corte grande de funcionários nesta segunda-feira (6) – estimado entre 500 e 840 pessoas, abrangendo, além da editora, outros negócios, como a área de logística e distribuição de revistas. As demissões começarão oficialmente na próxima quarta-feira, 8.

Feitas as dispensas, sobrarão sete títulos: Veja, Exame, as femininas Claudia e Saúde, além de Quatro Rodas, Vip e Placar, algumas delas apenas na versão digital.

São fortes os indícios de que os herdeiros de Roberto Civita estão decididos a entrar com um pedido de recuperação judicial do grupo. Giancarlo, o primogênito, que entregou a presidência executiva da Abril a uma consultoria, vem mantendo reuniões com as diretorias dos principais bancos credores, comunicando sua disposição de recorrer a essa alternativa diante da situação financeira calamitosa da companhia fundada pelo avô Victor Civita.

A Abril deve mais de R$ 1 bilhão em compromissos que devem ser honrados até 2022, acumulou prejuízos de R$ 768,1 milhões nos últimos três anos e registrou um patrimônio negativo de R$ 715,9 milhões, no balanço de 2017.
Share:

Author: Da Redação

Obrigado por participar.