Os documentos que comprovam o erro no exame de pré-câncer de Emanuele

Abaixo, dois exames contraditórios sobre a saúde da dona de casa Emanuele da Silva, 34 anos, sepultada no sábado (12), no cemitério São Francisco de Paula, no Fragata, vítima de câncer originário de colo de útero.

O primeiro exame, de 27 de julho de 2015, é um exame de Papanicolau (para detecção de câncer de colo de útero), com resultado “negativo”.

O segundo exame, de 01 de outubro do mesmo ano de 2015, foi uma ressonância magnética e confirmou que Emanuele tinha câncer de colo em estágio 3 – o mais avançado, com ramificações para o rim esquerdo e a uretra.

⊕ Mais notícias sobre o caso dos exames de pré-câncer

No período transcorrido entre o primeiro e o segundo exame (63 dias) é raro, quase impossível, uma pessoa desenvolver câncer e chegar ao último estágio da doença, 3, como ela chegou.

Os documentos foram apresentados ao site pela advogada da família de Emanuele, Samira Pereira.

Primeiro contato

Em meados de 2014 Emanuele fez um exame de Papanicolau via UBS Barro Duro. Deu negativo. Ela passou os meses seguintes bem. Um ano depois, em julho de 2015, com hemorragia, procurou a UBS Barro Duro de novo. Os médicos solicitaram o Papanicolau, que veio negativo no mesmo mês. Como continuou com dores e a sofrer sangramentos, a dona de casa tornou à UBS Barro Duro. Dessa vez, os médicos pediram a ressonância, que acusou o câncer.

O resultado deu negativo, mas Emanuelle estava doente
Dois meses depois do exame negativo, veio a confirmação do câncer

Author: Da Redação

1 thought on “Os documentos que comprovam o erro no exame de pré-câncer de Emanuele

Deixe uma resposta