Prefeitura ‘vai à justiça para refazer exames de pré-câncer’. Está atrasada

Prefeitura divulgou que a prefeita Paula Mascarenhas (PSDB) decidiu ir à justiça nesta quinta-feira (16) para refazer 2,1 mil exames de Papanicolau realizados entre 2014 e 2017 pelo laboratório conveniado, o SEG.

Diz a prefeita na nota: “Queremos a verdade. Não estamos acusando ninguém. Precisamos ter essas respostas e garantir a segurança das milhares de mulheres usuárias do SUS na cidade”.

A prefeitura está atrasada em sua preocupação.

Alertada duas vezes, em 2015 e 2017, não deu importância aos alertas.

Primeiro alerta

O primeiro alerta foi feito em 2015 pela médica Júlia Kanaan Recuero. Na ocasião, Dra. Júlia detectou insegurança nos exames preventivos de câncer para colo de útero feitos em 2014 e deu ciência ao governo do então prefeito Eduardo Leite, que tinha Paula como vice-prefeita.

Segundo alerta

O segundo alerta foi feito em julho de 2017 por médicos e enfermeiros da UBS Bom Jesus. Eles entregaram à Secretaria da Saúde, aos cuidados da secretária Ana Costa, um documento (abaixo) mostrando que de 2014 para 2017 todos os exames davam negativo para câncer, o que é incomum, levantando a suspeita de que os exames pudessem não estar sendo feitos integralmente (mas por amostragem) ou sendo feitos incorretamente.

Alertada duas vezes, a prefeitura não deu importância aos alertas e não mandou investigar os exames.

Alerta feito em 2017 à prefeitura

Não faz sentido temporal nem lógico, para o fim da elucidação das suspeitas de erros nos exames de pré-câncer, que a prefeitura ingresse agora na justiça, como fez nesta quinta-feira (16), para que o laboratório SEG libere lâminas para que o município mande analisar os exames – por conta própria – no Hospital das Clínicas de Porto Alegre.

Não faz sentido porque quando o caso estourou na imprensa, há mais de um mês atrás, 17 mil lâminas com material de coleta foram recolhidas do SEG pelo Ministério Público e pela Polícia Civil para reanálise e contraprova no Instituto Geral de Perícias, órgão do governo do estado.

Segundo a advogada do laboratório SEG, Cristiane Fonseca, a apreensão das 17 mil lâminas para exame pelo Instituto Geral de Perícias é suficiente para elucidar o caso.

Leite vem sendo cobrado nos debates sobre o caso

A reação tardia da prefeitura parece ser uma tentativa de aplacar os danos que o caso possa causar à campanha do ex-prefeito Eduardo Leite a governador. Ele tem sido cobrado por negligência em debates entre os candidatos ao Piratini. Foi cobrado no debate da Unisinos, na segunda-feira passada, e foi cobrado de novo no debate da Band, na noite desta quinta (16).

O caso ganhou maior gravidade depois que os portais nacionais R7 e G1 noticiaram a morte da dona de casa pelotense Emanuele da Silva, de 34 anos, sepultada no sábado, no cemitério São Francisco de Paula, em Pelotas.

Emanuele detectou a doença em estágio 3 – mais avançado – dois meses depois de um exame do laboratório SEG dar “negativo” para a doença.

A advogada da família, Samira Pereira, vai processar o Município e o laboratório SEG.

Emanuele com o marido. Ela descobriu que tinha câncer em estágio avançado
O resultado deu negativo, mas Emanuelle estava doente
Dois meses depois do exame negativo, veio a confirmação do câncer

Os portais noticiaram também que outras mulheres que costumam fazer consultas ginecológicas na rede municipal de saúde também descobriram que estavam com câncer de colo de útero em estágio avançado depois de receberem exames que apontavam situação normal, citando o caso de Ana Maria Nobre, de 39 anos (foto abaixo).

Ana Maria com o marido, Marcel, e a filha Marina Manoela, de 9 anos

R7 contou que teve acesso aos exames de colo de útero de Ana Maria. E que, na amostra coletada no dia 22 de fevereiro de 2017, a conclusão é de que o material estava “dentro dos limites da normalidade”. Com cólicas fortes e sangramentos cada vez mais frequentes, Ana Maria foi encaminhada ao Hospital Escola da Universidade Federal de Pelotas. Lá, uma biópsia – feita em agosto de 2017 – identificou o câncer de colo de útero em estágio avançado.

Depois de começar tratamento, Ana Maria fez um novo exame, desta vez na Sociedade Portuguesa de Beneficiência, também em Pelotas, pelo SUS, para acompanhamento. O resultado, mais uma vez emitido pelo laboratório SEG, atestou que ela “tinha o útero saudável”.

“Não poderia ter o útero saudável porque eu já estava doente”, disse Ana Maria.

A advogada Jaqueline Machado informou que vai processar a prefeitura e o laboratório. A prefeitura será processada por deixar de investigar as denúncias feitas.

Author: Da Redação

1 thought on “Prefeitura ‘vai à justiça para refazer exames de pré-câncer’. Está atrasada

  1. Vários contratos de prestação de serviço em Pelotas levantam dúvidas. Acredito haver comprometimento de quem deveria fiscalizar com os fiscalizados.

Deixe uma resposta