Connect with us
https://www.mvpthemes.com/zoxnews/wp-content/uploads/2017/07/zox-leader.png

Pelotas & RS

Pelotas tem rodoviária ruim porque quer

Publicado

on

Pelotas é o único dos 497 municípios gaúchos onde a rodoviária e seus serviços são administrados pela prefeitura.

O Executivo detém a concessão do governo do Estado para operar o terminal, que está aos cuidados da autarquia Eterpel. O site descobriu esta informação em contato telefônico com o diretor de Transportes Rodoviários do Daer, Lauro Hagemann.

O Daer, por lei, deve licitar a oferta dos serviços de vendas de passagem e despacho de mercadorias.

O órgão tentou fazer a licitação em Pelotas, mas o Município recorreu judicialmente. A prefeitura alega que não pode licitar porque a Eterpel possui servidores na rodoviária, pessoas que ficariam sem função. Alega também que o prédio “é próprio”.

Hoje é consenso que a rodoviária pelotense não é administrada da melhor maneira. Mesmo assim, a prefeitura mantém os serviços aquém do que poderiam ser.

Para melhorar os serviços e o terminal em si, basta à prefeitura uma decisão simples: fazer a licitação e, ao mesmo tempo, transferir os funcionários da Eterpel para outros setores da Administração. O fato de o prédio ser da prefeitura também não é impeditivo da licitação.

A licitação fatalmente melhoria os serviços do terminal, porque o edital de concorrência, nos termos propostos pelo Daer, exige das empresas privadas interessadas a qualificação não só dos serviços, mas do prédio, incluindo das lojas e demais comércios do lugar.

Numa licitação, a prefeitura, dona do prédio, talvez nem precisasse abrir mão dos aluguéis das lojas e outros comércios, desde que houvesse entendimento com a empresa que ganhasse a concorrência para administrar o terminal.

A readequação do prédio, que também sofre com dezenas de goteiras, é necessária porque ele não é funcional.

A arquitetura do terminal foi equivocadamente pensada para uma cidade nordestina, de clima quente. Por suas aberturas e vãos enormes, o vento e a chuva não só incomodam os usuários, mas trazem consigo a sensação de abandono.

Ninguém fala muito, mas a verdade é que a rodoviária pelotense é um desastre arquitetônico. Pior: para ser corrigido, requer um volume de verba expressivo, do qual a prefeitura não dispõe.

As melhorias no prédio e nos serviços não têm ocorrido porque a arrecadação da Eterpel serve no máximo para pagar a folha de seus servidores e dar manutenção. Os números não são revelados, por isso não se sabe se a Eterpel é superavitária ou deficitária. Mas se der lucro, é óbvio que o dinheiro não é aplicado na melhoria do terminal.

Em Rio Grande, a empresa que venceu a concorrência está construindo um terminal novo, com uma torre comercial, em terreno privado.

Categorias

O Daer classifica as rodoviárias gaúchas em quatro categorias. Pelotas está na primeira categoria, pelo porte da cidade, mas está aquém da qualidade que deveria oferecer.

Há muitos anos temos um serviço ruim por um motivo só: porque queremos.

Eis um tema sobre o qual a prefeita Paula poderia se debruçar.

* A Constituição de 1988 estabeleceu a necessidade de licitação para serviços públicos explorados por concessão. Aquele certame está atrasado há quase 30 anos. Uma lei estadual de 1998 determinou a ocorrência de concorrência para exploração das rodoviárias, mas o atraso continua.

3 Comments

3 Comments

  1. Elane Duarte

    25/06/20 at 00:10

    Rodoviária horrível, úmida, aspecto de suja, mal localizada, um desastre, já devia ter sido privatizada e ter saído deste lugar pavoroso, sem qualquer atrativo

  2. Luiz Henrique

    13/09/18 at 11:27

    Deixa onde esta se não a prefeitura vai inventar outros impostos para a população pagar eles Gastão e os trouxas pagam

  3. radames padilha

    11/09/18 at 19:43

    sobre a rodoviária;
    só problemas! – o terreno era um banhado; fria no inverno; infiltração quando chove;
    nunca foi terminada; localização horrivel; tem tudo para sair dali !!!!
    Pouco interesse comercial;sem conforto algum!!!!!!
    Pelotas merece coisa melhor!!!

Deixe uma resposta para Luiz Henrique Cancelar resposta

Pelotas & RS

Dizem que vão sepultar de vez o esqueleto

Publicado

on

Depois de 18 anos interrompida, a construção do edifício do que originalmente seria o Shopping Praça XV vai ser concluída, segundo notícias por alto. Dado o histórico, é bom desconfiar da notícia.

Arquitetonicamente seria um shopping meia-boca, em seis dos 19 andares previstos inicialmente – agora falam em 23 andares. Será?

No mercado, dizem que terminar a obra deve sair mais caro do que fazer um prédio novo.

O inacabado esqueleto da obra, espetado no entorno da Praça Coronel Pedro Osório, no centro histórico, transformou-se num monumento da cidade – não exatamente em homenagem a ela, mas representativa de um tipo de mentalidade materializada na pose do Coronel na estátua: apesar de tudo, nunca tira a mão do bolso.

Foram tantos anos de espera que nem parece crível que a obra venha a ser concluída, muito menos no prazo que falam: 18 meses.

O esqueleto foi uma obra da Cinco Construções, que num belo dia subitamente quebrou, deixando na pior centenas de compradores com envergonhadas mãos estendidas para uma Massa Falida engravatada e silenciosa.

Agora dizem que, a ser finalizado por um empreendedor de fora da cidade, o prédio terá 84 apartamentos em um “condomínio clube”.

Já os condôminos originais passaram o tempo sem devolução concretizada; alguns morreram com esse desgosto enquanto sorridentes senhores continuaram a sorrir nas sinceras colunas sociais.

Ninguém percebeu a tempo que havia um furo e um parafuso solto na história.

Continue Reading

Pelotas & RS

Sábado tem dose de reforço para idosos com 60 anos ou mais

Publicado

on

Neste sábado (16), a vacinação contra a Covid-19 será destinada para aplicação da terceira dose (dose de reforço), em idosos com 60 ou mais, que já tenham completado seis meses desde a segunda dose.

Este público deve comparecer até o drive-thru do Centro de Eventos, das 9h às 17h, levando documento de identidade e comprovante de vacinação para confirmar as duas doses ou esquema vacinal completo.

Confira o cronograma

Drive-thru – Centro de Eventos, com entrada pela avenida Pinheiro Machado, 3.390 – das 9 às 17h

– Sábado (16) – 3ª dose para idosos com 60 anos ou mais

Quem perdeu a 2ª dose

A SMS informa a todas as pessoas que, por algum motivo, não conseguiram comparecer aos locais da campanha nas datas previstas para a sua segunda dose, que poderão se dirigir até o local onde houver ações destinadas à segunda dose de outros grupos e faixas etárias.

Nesse caso, será preciso observar a vacina que estará sendo aplicada, a qual deverá ser a mesma que a pessoa recebeu como primeira dose.

Informações da SMS

A SMS esclarece que, como regra geral, todas as vacinas recomendadas no Calendário Nacional de Vacinação podem ser aplicadas no mesmo dia.

Sendo assim, não é mais preciso aguardar o intervalo mínimo de 14 dias entre a aplicação do imunizante contra a Covid-19 e qualquer outro do calendário.

Importante relembrar que continua a orientação às pessoas que apresentarem sintomas gripais de não comparecer na data marcada.

O mesmo vale para quem tiver positivado para o coronavírus. É necessário aguardar 30 dias do início dos sintomas para receber a aplicação.

Continue Reading

Pelotas & RS

UCPel abre seleção para Mestrados e Doutorados

Inscrições podem ser feitas pelo site inscricao.ucpel.edu.br/curso. Todas as etapas serão realizadas de forma on-line

Publicado

on

Os Programas de Pós-graduação Stricto Sensu da Universidade Católica de Pelotas (UCPel) estão com inscrições abertas. Dois doutorados e quatro mestrados realizam seleção que acontecerá totalmente on-line para todas as etapas.

São ofertadas vagas para o Programa de Pós-Graduação em Saúde e Comportamento (PPGSC), sendo 20 para o mestrado e 10 para o doutorado; o Programa de Pós-Graduação em Política Social e Direitos Humanos (PPGPSDH), com 20 vagas para mestrado e 10 para doutorado; o Mestrado em Saúde no Ciclo Vital (MSCV), 20 vagas; e o Mestrado em Engenharia Eletrônica e Computação (MEEC), 14 vagas.

O processo seletivo será diferente para cada curso, com etapas que variam entre prova, análise de proposta e plano de atividades, análise do Curriculum Lattes, carta de recomendação e entrevista. Para que a seleção seja realizada sem transtornos, o edital orienta sobre as especificações mínimas de hardware e software de computadores. A prova não poderá ser realizada por meio de smartphone ou tablet. 

PUBLICIDADE

As inscrições devem ser realizadas até o dia 3 de novembro para o PPGSC, MEEC e MSCV. Interessados no PPGPSDH têm até  10 de novembro para se candidatar. Os documentos relativos à inscrição devem ser enviados para os e-mails dos respectivos programas: ppgsc@ucpel.edu.br; ppgps@ucpel.edu.br; ppgsmca@ucpel.edu.br e meec@ucpel.edu.br. A taxa é de R$ 170,00.

Demais informações estão disponíveis nos editais  ucpel.edu.br/editais

Continue Reading

Em alta