O texto em que o jornalista fala de sua saída do DP

Abaixo, postagem de Pablo Rodrigues, publicada em seu endereço de facebook (link abaixo).

Meus amigos, encerra-se um ciclo profissional de 12 anos para mim no Diário Popular, casa que aprendi a amar, com seus defeitos e suas muitas qualidades.

Muito fiz. E muito mais ainda aprendi. Tive experiências sensacionais, como a de ser correspondente internacional no conclave que elegeu o papa Francisco, no Vaticano, em 2013.

Convivi com muita gente valorosa e competente. Gente que sabe e cumpre o fundamental: o jornalismo só tem sentido quando ajuda a construir comunidade, quando está ao lado da comunidade, auxiliando-a a se construir mais justa e igualitária. Fora disso, é um mero empilhar de palavras ôcas.

Saio feliz e extremamente agradecido. A coluna magis constituiu-se, durante três anos, em uma das mais radicais experiências de liberdade editorial na imprensa de Pelotas e, principalmente, no Diário Popular. O último texto foi publicado na sexta-feira. Saio com muitos leitores. Não à toa, algumas colunas chegaram a 200 mil pessoas, de acordo com as métricas online. Não à toa, o retorno dos leitores era constante.

Asseguraram-me que minha demissão não é política. Sendo ou não política, resta uma certeza: a minha saída empobrece a indispensável pluralidade de opiniões que um jornal deve ter. Do bom time de colunistas do Diário Popular, eu era um dos poucos a caminhar por outras veredas, a construir caminhos de discussão sobre as políticas públicas do município, a questionar. Não me acho melhor por isso. Mas não me permiti ser diferente disso. “Tu és aquele que se cumpre”, escreveu Exupéry em Cidadela. Me cumpri, como jornalista e como cidadão, no Diário Popular.

Agradeço a todos quantos cruzaram meu caminho. Agadeço à direção do Diário por tantas oportunidades ao longo de 12 anos. Compreendo os limites da consciência possível para este momento histórico. E agradeço principalmente aos meus colegas de Redação, gente que muito me ensinou e inspirou. É vida que segue. E que se amplia.

No mais, Beatriz está prestes a completar um ano. Nada pode ser maior. Nada é maior.

A magis deve continuar online. Não nesta semana. Estou estudando o melhor formato.

Beijos e abraços!

Share:

Author: Da Redação

Deixe uma resposta