Eleição presidencial: a hora da verdade

A Eleição do dia 07 de Outubro deixou de ser uma simples escolha entre Bolsonaro e Haddad. Ela vai muito além do que a nossa mera sapiência nos permite imaginar.

Converteu-se num Plebiscito (ou num Referendo, aqui a diferença é irrelevante) entre quem é condescendente com os crimes perpetrados pelo PT.

Se você, assim como eu, é a favor da Lava Jato e todos os esforços para a limpeza da dignidade do povo brasileiro, a única saída é votar em Bolsonaro.

Share:

Author: Da Redação

4 thoughts on “Eleição presidencial: a hora da verdade

  1. É um argumento bolsonarista raso e leviano.
    Por essa lógica, quem vota em Bolsonaro então endossa a tortura, o racismo, o machismo, a misoginia, a homofobia e sobretudo, contra a democracia? (já que Bolsonaro (o “capitão”) e o Mourão (o “general”) já abanaram com um autogolpe em caso as saiam derrotados das urnas.
    Ou vão negar o extenso arcabouço probatório (vídeos e mais vídeos dos dois sustentando os maiores disparates)?
    Fato é que o antipetismo (justificável em certos aspectos, pelo conjunto da obra até 2016, ao menos) está prestes a nos jogar no abismo do autoritarismo, muito mais concreta e abertamente vinculado à ideia de ditadura do que o argumento limitado de que haveria um plano “comunista” de transformar o Brasil em Cuba…
    Mas cada pessoa tem suas limitações intelectuais, umas maiores, outras, menores…
    Escolho acreditar que B… não é uma alternativa democrática, mas um “cavalo de Troia” para uma liberalização desenfreada e para um retrocesso institucional com o qual portadores de diploma de direito de instituições sérias, ao menos, não poderiam coadunar, sob pena de rasgar a Constituição (se bem que, quando o próprio Judiciário e o MP começam a fazer isso, as perspectivas não são as mais alvissareiras).
    Enfim, parece faltar à certa parcela do eleitorado leitura (ou efetiva compreensão) dos escritos de Hannah Arendt quanto ao totalitarismo…

  2. Argumento fraco esse do Petista acima… Existe uma diferença gritante entre frases e colocações infelizes (ou até inaceitáveis) em momentos de discussão quanto a prática deliberada de crimes contra o patrimônio público que destruiu com a economia do país. Alias, do outro lado também tivemos frases gravadas como mulher de grelo duro, estancar a lava-jato, vingança contra a justiça, sentar a porrada nos coxinhas e por ai vai…
    O maior problema do Brasil é o fanatismo partidário que cega as pessoas, as pesquisas mostram que outros candidatos inclusive de esquerda teriam maior chance de vencer a disputa no segundo turno, mas insistem em votar no PT…

  3. Deve ser angustiante a situação de um “aspone”, prestes a perder a “boquinha” conseguida por seus chefes. Não são todos os que têm a sorte de um Toffoli, sempre REPROVADO em concursos públicos e nomeado para cargo vitalício sem precisar demonstrar competência…

  4. Acho que não vai dar para fazer “barba, cabelo e bigode” em virtude de a Ana Amélia ter feito a bobagem de não se candidatar à reeleição. Era a hora de mandar a nulidade do Paulo Paim para casa. Agora, com duas vagas e a saída da Ana Amélia, talvez a “foca amestrada” sobreviva…

Deixe uma resposta