Cinema: Nasce uma estrela

Estreando nos cinemas pela quarta vez, a história de Nasce uma Estrela foi contada pela primeira vez em 1937, estrelada por Janet Gaynor. Em 1954, foi a vez de Judy Garland no papel da protagonista e Barbra Streisand e Kris Kristofferson formaram a dupla principal da versão de 1977. Agora, Lady Gaga e Bradley Cooper emocionam o público com a romântica e poderosa história de amor.

Na trama, Jackson Maine (Bradley Cooper) é um experiente músico que descobre Ally (Lady Gaga), uma cantora que ganha a vida trabalhando em um restaurante. Encantado por Ally e seu talento, Jackson a ajuda a ascender ao estrelato, ao mesmo tempo em que vive uma crise pessoal e profissional devido aos problemas com o álcool.

Além de protagonista, Bradley Cooper estreia na direção do filme. Mesmo com uma história simples, a direção entrega um trabalho competente, e, acompanhado do diretor de fotografia Matthew Libatique (indicado ao Oscar por Cisne Negro), a dupla utiliza as cores como elemento fundamental na composição de momentos da vida dos personagens. Destacando a luz e as tonalidades, em especial o vermelho, conhecemos Ally inicialmente em um cenário frio, porém, quando Jack a conhece, ela está em um bar repleto de cores e cantando a linda “La Vie en Rose”.

O roteiro, escrito por Bradley Cooper, Eric Roth e Will Fetters, consegue criar instantaneamente uma empatia enorme pelos personagens, que só cresce com o decorrer da trama. Entretanto, a ascensão de Ally é mais interessante que seu sucesso. Há um grande esforço para distanciar Lady Gaga de Ally, mas quando a narrativa a transforma em uma diva pop é impossível não fazer a conexão do real com o ficcional. Se na primeira metade do longa a estrela de Ally brilha, na metade final suas escolhas são questionáveis.

Perfeita na pele da protagonista, Lady Gaga prova, definitivamente, que é uma ótima atriz e tem tudo para ser, no mínimo, indicada ao Oscar. Aliando inocência e carisma, sua presença em cena é cativante e, nas performances musicais é brilhante como esperado. A química com Bradley Cooper é intensa e perfeita, e o ator mostra que sabe cantar, e muito bem. Com um sotaque carregado, Cooper está excelente também ao lado do extraordinário Sam Elliott, que vive o irmão mais velho de Jack, em um relacionamento frágil e doloroso. O elenco coadjuvante ainda conta com as presenças de Andrew Dice Clay e Dave Chappelle.

O grande atrativo do filme são as músicas cantadas pelos protagonistas. Misturando rock, country e até pop, a trilha sonora apresenta canções fortes e marcantes, em performances memoráveis de Lady Gaga e Bradley Cooper. Destaco “Black Eyes” e “Always Remember Us This Way”, além da belíssima (e já favorita ao Oscar) “Shallow” e a arrebatadora balada “I’ll Never Love Again”.

Nasce uma Estrela é um filme arrebatador seja pelo belo e emocionante romance e por suas canções inesquecíveis. Um espetáculo imperdível!

Share:

Author: Deborah Schmidt

Deixe uma resposta