Propaganda reversa

No 1º turno, marqueteiros de Alckmin foram os que mais ajudaram Bolsonaro. E os do PT repetem a dose no 2º turno. Como é isso?
NO 1º, Bolsonaro tinha só 11 segundos no horário eleitoral. Mas os marqueteiros de Alckmin usavam os muitos minutos de que dispunham para falar do ogro. Laboriosamente, mantiveram o nome de Bolsonaro na lembrança do eleitor, enfatizando (sem querer) que ele era o principal antagonista do PT, que a maioria não suporta mais. Deu no que deu.
No 2º turno, no rádio e na TV, a todo tempo as “inserções” de Fernando Haddad trazem a voz do capitão, mostrando ao eleitor indignado que, sim, existe alguém para combater o partido que chefiou a maior corrupção da história.
Numa delas pergunta-se: “qual desses é Bolsonaro?” E se mostra uma expressão afável do candidato.  E logo, como contraste, surge a voz dele esbravejando a dizer “Você é uma idiota!”. Só esqueceram que as pessoas têm memória e, tendo dúvida, podem ir ao Youtube verificar em que contexto Bolsonaro explodiu: “idiota” é uma mequetrefe com dicção esquerdista que lhe fez grosseira provocação.
Ora, a explosão de raiva do capitão constela com a revolta contida de milhões que, um dia, confiaram em petistas que se revelaram grandes corruptos – alguns hoje puxando cadeia. Milhões de brasileiros também chamariam a mequetrefe de idiota. E a esses milhões a propaganda do PT está dizendo: “Eleitor, este Bolsonaro te representa”.
Não está adiantando, pois, “fazer o diabo” para tomar o poder, princípio estabelecido pelo presidiário de Curitiba. Até aqui, a patifaria marqueteira só vêm favorecendo Jair Bolsonaro – que agradece.
Share:

Author: Renato SantAna

Deixe uma resposta