Cinema: O ódio que você semeia

Por causa disso, ela e seus irmãos foram colocados pelos pais em um colégio de uma área mais rica da cidade. Porém, ela presencia o assassinato de seu amigo de infância por um policial branco.

Única testemunha do crime, inicialmente, Starr não quer se manifestar, mas aos poucos vai encontrando forças para lutar contra a impunidade e a intolerância.

Narradora da história, Starr descreve a divisão de seu mundo. Afinal, ela se sente dividida em duas para encaixar-se em ambientes totalmente distintos: a escola particular onde estuda, dominantemente branca, e o bairro negro e pobre onde vive com a família.

Starr mostra sempre o que se espera dela de acordo com o ambiente onde está, seja na forma de falar, modo de vestir e, principalmente, no comportamento.

 

Muito além do discurso racial

Adaptação do best-seller “O Ódio que Você Semeia”, de Angie Thomas, o filme cumpre com louvor o objetivo de criar uma obra que é ao mesmo tempo juvenil e adulta. Com uma história sensível e poderosa, a roteirista Audrey Wells adaptou belamente a obra, mostrando exatamente um panorama da nossa sociedade.

O longa explora lições do cotidiano e vai além do discurso racial, impactando o espectador e fazendo refletir sobre uma história que lamentavelmente ainda necessita ser contada.

O diretor George Tillman Jr. opta por manter a câmera enquadrada no rosto dos personagens, especialmente sua protagonista. Com isso, destaca emoções e os poderosos diálogos da trama.

Desta forma, a narrativa conduz com maestria os momentos de medo, raiva, revolta e fervor dos personagens e, consequentemente, do espectador que consegue sentir tudo isso em conjunto.

De fato, vemos uma obra repleta de personalidade, com referências da cultura pop que vão de Tupac e N.W.A. a Harry Potter e Beyoncé.

Simplesmente incrível, Amandla Stenberg cativa e brilha em cena. Em uma atuação segura, marcante e memorável, ela emociona do início ao fim, trazendo em suas palavras e olhares toda a dor e o peso da injustiça.

Quem também se destaca é Russell Hornsby, que vive o pai da protagonista. Sua primeira cena é um diálogo pesado, com uma carga emocional enorme, que enaltece ainda mais a performance honesta de um pai que criou seus filhos com uma forte disciplina.

Um dos principais méritos do filme é o elenco, que ainda conta com as ótimas presenças de nomes como Regina Hall, Issa Rae, Common, K.J. Apa e Anthony Mackie.

Pesado, reflexivo e muito necessário, O Ódio Que Você Semeia é, sem sombra de dúvidas, um dos filmes mais importantes da atualidade. Emocionante, divertido e desafiador é uma obra necessária e importante para reforçar a luta contra o racismo, e, principalmente, a intolerância.

Share:

Author: Deborah Schmidt

Deixe uma resposta