Connect with us

Opinião

O Natal ao longo dos tempos

Publicado

on

Cena marcante, para mim, foi o adolescente que revelou ter roubado “para comprar presentes de Natal pra minha família”. Faz parte da minha profissão, psiquiatra forense, ouvir jovens infratores para avaliar seu psiquismo e suas motivações. Como o Natal, que deveria representar valores espirituais, se tornara motivo para um roubo à mão armada?

De aniversário de Jesus Cristo e sua mensagem de amor e humildade, o Natal se transformou na festa do Papai Noel onde o principal são os presentes. Mas na origem do Noel estava a fé cristã, pois inspirado no bisco Nicolau, que em Mira (na atual Turquia) se dedicava aos mais carentes e dava presentes às crianças no aniversário de Jesus.

São Nicolau (Santa Claus para os americanos) passou a ter caráter mais comercial no século XX, numa versão criada por cartunistas americanos e popularizada pela Coca Cola, que lançou um comercial do “bom velhinho” com as vestes vermelhas.

O século XX marca, portanto, o momento da história em que o caráter de propaganda comercial passa, gradativamente, a substituir o simbolismo cristão original não só do Natal, como da própria figura de Santa Claus (Papai Noel), até então inspirada no bispo que, com presentes às crianças, festejava Jesus.

De caridade aos mais humildes, os presentes de Natal se tornaram então uma obrigação. O comércio, é natural, valoriza a data e aproveita que ela coincide com a época do 13º salário. Uma tradição atribuída ao próprio bispo Nicolau é a de valorizar o comportamento das crianças, para saber se elas “merecem” os presentes.

Publicidade

Algumas décadas atrás isso chegava a ser uma preocupação, mas – com os estímulos comerciais à realização dos desejos de todos – hoje o pressuposto é que todos tem direito a serem atendidos em seus sonhos de consumo, nessa época.

Se procurarmos na História épocas mais antigas, podemos cogitar que talvez estejamos retomando tradições milenares, pois nessa mesma época do ano – antes da Era Cristã – havia a tradição de uma grande festa pelo solstício de inverno (no Hemisfério Norte), o nascimento anual do Deus Sol.

As festividades atuais teriam mantido algumas características da era pré-cristã e talvez por isso não seja tão surpreendente a deturpação do sentido das comemorações, onde presentes materiais se tornam mais importantes que o significado afetivo, amoroso e espiritual da data.

Uma das necessidades humanas é a de comemorações e nesse sentido nem sempre as pessoas prestam atenção no motivo da festa.

Publicidade
Clique para comentar

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor.

Brasil & Mundo

Leite rejeita convite de Doria para coordenar sua campanha

“Penso que deve haver uma sinergia entre candidato e coordenador que seja maior do que o simples fato de estarem no mesmo partido”

Publicado

on

O governador Eduardo Leite disse à Folha de S. Paulo desta segunda que não aceitou convite do governador João Doria para coordenar sua campanha à Presidência.

“Permaneço no PSDB, mas não me vejo coordenando uma campanha presidencial, pois serei governador até o último dia do meu mandato e não imagino poder coordenar algo desta dimensão nacional estando focado nos problemas e soluções do meu estado”, afirmou Leite em resposta a Doria, também na Folha de S. Paulo.

“Além disso, penso que deve haver uma sinergia entre candidato e coordenador que seja maior do que o simples fato de estarem no mesmo partido. Imagino que o governador Doria busque alguém afinado com sua forma de pensar e fazer política, para além de uma visão meramente partidária”.

Continue Reading

Cultura & diversão

Noite passada em Soho. Por Déborah Schmidt

Apostando na dualidade e na falsa nostalgia, Noite Passada em Soho é um thriller psicológico imperdível

Publicado

on

Noite Passada em Soho acompanha a sonhadora Eloise (Thomasin McKenzie), uma jovem apaixonada por moda que decide deixar sua pequena cidade natal para estudar em Londres. Quando aluga um quarto no bairro do Soho, no entanto, ela começa a ter sonhos e visões de Sandie (Anya Taylor-Joy), uma aspirante a cantora que buscou a fama na Londres dos anos 1960 com a ajuda de Jack (Matt Smith), seu namorado e empresário.  

O longa conta com a direção de Edgar Wright, que sempre aprimora seu estilo e a forma de contar histórias. Em sua ótima filmografia, as divertidas comédias inglesas recheadas de referências à cultura pop Todo Mundo Quase Morto e Chumbo Grosso, a adaptação de Scott Pilgrim Contra o Mundo e a ação moderna Em Ritmo de Fuga. Escrevendo o roteiro ao lado de Krysty Wilson-Cairns, indicada ao Oscar por 1917, Wright mostra porque é um dos cineastas mais promissores da atualidade, em sua obra mais madura e original.  

Inspirado por clássicos do terror, como Dario Argento, o filme encanta pelo excelente trabalho visual. Com brilhantes holofotes da década de 60, a fotografia do sul-coreano Chung-hoon Chung aposta nas luzes neon para evocar o terror. Repleto de cenas impressionantes, realizadas através de coreografias e sem o uso de computação gráfica, o destaque vai para a primorosa sequência de dança que envolve os personagens de Anya Taylor-Joy, Thomasin McKenzie e Matt Smith. Com uma coreografia executada com perfeição pelo trio, vemos uma troca de lugares entre as duas, que se alternam durante a dança de forma imperceptível. Há também o uso fenomenal de espelhos, e, novamente, sem a utilização de recursos digitais, e sim, utilizando sets duplicados e espelhos que deslizam pelas câmeras, além da movimentação de Wright e de seu montador Paul Machliss. Como se não bastasse, a trilha sonora de Steven Price é simplesmente incrível. “You’re My World”, sucesso na voz de Cilla Black, serve de ambientação para a primeira visita de Ellie ao passado e “Downtown”, originalmente gravada por Petula Clark, ganha a surpreendente interpretação de Anya Taylor-Joy e marca o verdadeiro momento de conexão emocional entre Sandie e Ellie.  

Com uma carismática dupla de protagonistas, Thomasin McKenzie acerta no tom doce de Eloise e Anya Taylor-Joy rouba a cena com uma presença hipnotizante. Infelizmente, o filme é o último papel da icônica Diana Rigg, para quem o filme é dedicado, e que faleceu antes de seu lançamento. A atriz é um dos grandes destaques, interpretando a proprietária do imóvel para o qual Ellie se muda. Também no elenco, o veterano Terence Stamp entrega uma performance poderosa de um personagem misterioso.  

Apostando na dualidade e na falsa nostalgia, Noite Passada em Soho é um thriller psicológico imperdível.  

Publicidade
Continue Reading

Brasil & Mundo

Aprovação ao Governo Bolsonaro cai para 19%, nível mais baixo desde que chegou ao Planalto

Publicado

on

O El País publicou hoje:

A aprovação do presidente Jair Bolsonaro alcançou seu índice mais baixo desde o início de seu Governo: 29,3% dos brasileiros aprovam seu desempenho na presidência, enquanto 65,3% o rejeitam, conforme mostra a pesquisa Atlas, realizada pelo AtlasIntel e divulgada nesta segunda-feira.

O levantamento também aponta que para 59,7% da população a gestão do mandatário é ruim ou péssima, enquanto 19% a classificam como ótima ou boa.

A queda ocorre em meio à crise econômica que atinge o país: 59% dos entrevistados apontaram questões como desemprego, inflação, desigualdade social e pobreza como alguns dos principais problemas do Brasil.

Mais em El País.

Publicidade
Continue Reading



Publicidade
Publicidade

Mais lidas em três dias