Políticos não se lembram mais do caso exames de pré-câncer

Ninguém mais fala sobre as denúncias de falhas nos exames de pré-câncer de colo de útero em Pelotas e região.

A CPI foi enterrada junto com alguns corpos de mulheres que tinham em mãos resultados de exames negativos para a doença, mas estavam doentes.

Em certo momento da CPI, o líder do governo, Fabrício Tavares (PSD), alegou motivação política e negociou o adiamento para depois da eleição dos depoimentos da prefeita Paula e do ex-prefeito Leite à CPI.

Hoje Tavares é presidente da Câmara, eleito outro dia, com apoio decisivo da base do governo, que é maioria.

Depois da vitória de Leite, seria inimaginável que chamassem para depor na Câmara um governador e, em consequência, não é de esperar também que a prefeita o seria.

A dona de casa Ieda de Ávila, uma das vítimas, morreu na madrugada do dia 22 de novembro passado, no Hospital São Francisco de Paula, quando os políticos só pensavam em composições partidárias e, agora, na posse dia 1º.

Formalmente o caso segue sendo investigado pela Polícia Federal, na mira do Ministério Público.

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.