Connect with us

Pelotas & RS

Revolta no reino animal

Publicado

on

Quando eu me detenho nos olhos do mico que uma amiga contrabandeou da Amazônia, vejo coisas. O que vejo? Por baixo do abandono das pupilas, sob a aparência de resignação, eu vejo a resolução dos oprimidos.

As jabuticabas, dançando nos globinhos paranoicos, fazem-me pensar em certas notícias que venho colecionando dos quatro cantos deste mundo acalorado, à beira da extinção.

Entre meus guardados: Em alguma praia do globo, uma arraia ferrou a vida de um mergulhador; na Índia, um elefante esmagou o homem que o amestrava; na Austrália, um crocodilo engoliu um caçador; no Quênia, um leão realmente se fartou, trucidando no turista japonês sua nikonica pretensão de posteridade.

Os ataques se sucedem no Brasil, onde tubarões vêm pra rebentação amputar o equilíbrio de surfistas, e pit bulls das cinco regiões não deixam por menos. Por aí vai.

Nosso maior pesadelo são os símios. Além de cleptomaníacos, prontos que estão a subtrair-nos a pipoca e o patrimônio, foram eles que disseminaram o vírus HIV. Não desconfia das colônias de urubus perto de aeroportos? Aconselho. Pra bicho-piranha, somos boi.

Mesmo assim, não odeio os animais…

Publicidade

Na verdade, quando me coloco no lugar deles, meu sentimento é o da solidariedade. Imagino-me num picadeiro – diante de um arco de espadas, chicoteado por um tigre-de-bengala ¬– e posso compreender o rancor que deve nutrir por nós até o mais cândido coelhinho.

Desde criança, não tenho afinidade com bichos. Sinto que não fomos feitos um para o outro. Mas sou diplomático. Se não os afago, não os maltrato, o que talvez explique terem-me poupado até este dia de seus afetos.

Ajo com eles como ajo com as pessoas: com respeitosa equidistância, ciente dos riscos da convivência em excesso em relação ao asco. Acontece que os humanos excedem a intimidade entre os de sua espécie, violando também o habitat animal.

Além das intrusões em um mundo que não é seu, homens e mulheres submetem os bichos a toda forma de imposições, brutalidades e humilhações. É o que vemos em circos, zoológicos, tornos e rédeas, laboratórios de pesquisa, passarelas de moda.

Não contentes em explorá-los com finalidades comerciais ou científicas, o que dá na mesma, nós os confinamos ao cativeiro do afeto no ambiente doméstico, chegando a submetê-los ao universo pornô.

Tive um colega cuja iniciação sexual no galinheiro tomou vulto nos estábulos e alcançou as ovelhas, em campo aberto. Revista erótica para ele eram fascículos rurais. Por aí se pode medir o tamanho da encrenca, contra a qual mesmo animais ditos ‘caseiros’ se podem insurgir, com a investidura de um tubarão branco.

Experimente topar com um cão – numa rua deserta – babando. Se a raiva do pobre animal não o torna apto a suportar dentro de si toda a desumanidade de um humano, como é capaz a jiboia, pode punir-nos com a morte ou, piedoso, cicatriz. Já os gatos desenvolveram afiados recursos para nos ensinar outra língua, o Braille, antes de saltarem o muro do desconhecido, sem olhar para trás.

Publicidade

A essa revolta em curso na monarquia animal, papagaios dão os dois ‘pés’. Se não representam nenhuma ameaça direta à nossa integridade física, podem muito bem provocar embates humanos ao vazar pelo bico inconfidências verbais.

Por sorte, alguns bichos se conformam em nos oferecer lições exclusivamente morais. Por exemplo, ao se adaptarem a regiões remotas, pinguins denunciam a extensão do nosso ódio; quando reviram o pescoço, corujas revelam o quadrante da nossa traição; nos sea park, o sorriso dos golfinhos nada mais é do que puro deboche da nossa estupidez. Se os ursos nos transmitem no seu abraço a falsidade do afeto, e se preguiças lentamente se movem para que nos vejamos tediosos, tartarugas vão um pouco mais longe, provando o quanto somos efêmeros.

Mesmo insetos, que em geral cumprem missões pouco edificantes, podem superar-se. Alguns parecem guiados pela tábua rasa de Islã. Zangões sacrificam o néctar da própria existência por uma causa maior => ferrar-nos. Em mutirão, cupins corroem a precariedade do nosso lar. Piolhos teriam sido precursores da Revolução Francesa, marchando da peruca ao cérebro de Luis XV, ‘guilhotinando-o’ antes que ao carrasco o privilégio fosse dado.

Fossem de lince os olhos dos homens e não ofenderiam a alcateia ao se intitularem ‘lobos de si’. Somos algo pior. Por isso eles uivam na noite profunda. Para lembrar-nos de que, em algum lugar, a vingança nos espera.

Jornalista. Editor do Amigos. Ex-funcionário do Senado Federal, do Ministério da Educação e do jornal Correio Braziliense. Prêmio Esso Regional Sul de Jornalismo. Top Blog. Autor do livro Drops de Menta.

Publicidade
Clique para comentar

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor.

Especial

Cipel contra cobrança de taxa de iluminação pública

Publicado

on

Pelotas, 06 de dezembro de 2021.

Cumprimentando-o respeitosamente, vimos através desta em nome dos empresários da indústria local, os quais são representados coletivamente pelo Centro das Indústrias de Pelotas (Cipel) e pelos nove Sindicatos Patronais que integram a Casa da Indústria apresentar a desconformidade da classe com a criação da Contribuição para Custeio do Serviço de Iluminação Pública (COSIP) em Pelotas, o qual tomamos conhecimento pelas redes sociais que está em fase de apreciação nesta Casa Legislativa.

Além de invariavelmente termos a posição de contrariedade a qualquer tipo de tributo ou taxa, seja ele de ordem estadual, municipal ou federal, gostaríamos de argumentar sobre o período extremamente negativo para a implantação de mais um custo mensal: a atual crise assola a maior parte das famílias pelotenses; as empresas estão buscando novas formas de dar continuidade às suas produções; têm custos de matéria prima, encargos e demais elevadíssimos; estão trabalhando com a margem mínima e, muitas vezes, em déficit apenas para cumprir com os compromissos assumidos e não conseguem, de maneira nenhuma, absorver uma nova tarifa mensal.

Outrossim, gostaríamos de lembrar que os serviços públicos são específicos, quando possam ser destacados em unidades autônomas de utilização, traduzindo a incompatibilidade da utilização da iluminação pública de forma divisível e específica. O serviço de iluminação pública é usufruído por todos aqueles que transitam pelos logradouros e vias públicas, pouco importando sejam munícipes, proprietários de imóveis, empresários, industriais ou visitantes,
inviabilizando a divisão dos proveitos do serviço em relação direta com o consumo, os quais respondem por todos aqueles que dele se beneficiam, o que implica arrematada desigualdade de tratamento e abuso.

Imperioso ainda destacar que cremos na integridade de nossos representantes políticos, no espírito de entendimento da atual conjuntura econômica que estamos atravessando neste momento pós pandemia onde tanta insegurança e tristeza permeou os dois últimos anos e de que é inadmissível aceitarmos mais esse ônus que traduz a fúria arrecadatória em uma localidade economicamente deprimida; com gargalos de todas as naturezas que impedem o desenvolvimento pleno; tarifa de IPTU no ranking das mais elevadas do Estado e baixa
competitividade.

Confiamos, assim, no bom senso dos nossos representantes, na transparência do processo; na democracia e na política séria e moderna tão propalada pela atual gestão municipal, que não aceita os acordos e benesses políticas em
detrimento ao bem comum ou ilimitados poderes.

Publicidade

Sem mais, renovamos nossos votos de apreço a admiração.

Cordialmente,

Amadeu Pedrosa Fernandes
Presidente do Cipel (Centro das Indústrias de Pelotas).

Continue Reading

Especial

Passaporte vacinal será necessário na UFPel

Publicado

on

A reitora da Universidade Federal de Pelotas, Isabela Andrade, assinou, nesta segunda-feira (6), portaria que torna obrigatória a comprovação da vacinação contra a Covid-19 para acesso circulação nas dependências da UFPel.

O ato entra em vigor no dia 7 de fevereiro, data que marcará o retorno das atividades dos servidores da Universidade. A portaria normatiza a exigência, aprovada em sessão extraordinária do Conselho Universitário.

A disposição é válida para estudantes, servidores docentes e técnico-administrativos, trabalhadores terceirizados e público em geral. O comprovante poderá ser solicitado a qualquer tempo, nas portarias de prédios da Universidade ou durante a permanência em espaços físicos da instituição.

Poderão ser apresentadas a carteira de vacinação digital, disponível na plataforma ConecteSUS, do Sistema Único de Saúde, sendo este o preferencial, ou a caderneta ou cartão de vacinação impresso em papel timbrado emitido por instituição governamental brasileira quando da vacinação. Será considerado o esquema vacinal completo.

Exceção será aberta para pessoas com contraindicação médica para as vacinas existentes no mercado; nesse caso, deverá ser mostrado atestado médico justificando a não imunização. Para acesso de pessoas não vacinadas, será necessária apresentação de laudo relativo a exames negativos ao coronavírus do tipo RT-PCR ou de antígeno realizados até 72 horas antes.

De acordo com a reitora, no documento, a vacinação contribui para a preservação da saúde da comunidade acadêmica. Ela ainda complementa que estão comprovados os efeitos de que a ela é crucial para o controle da pandemia, auxiliando na retomada das atividades acadêmicas no formato presencial.

Publicidade

Continue Reading

Pandemia

População acima de 18 anos já pode receber reforço da vacina

Terceira dose é destinada a quem completou o esquema vacinal há, no mínimo, cinco meses

Publicado

on

terceira dose da vacina contra o coronavírus (dose de reforço) já pode ser recebida por toda população adulta, que tenha feito a segunda há, no mínimo, cinco meses. Os imunizantes podem ser encontrados nos mais de 50 pontos de vacinação selecionados pela Prefeitura a partir de quarta-feira (8). 

Os documentos que deverão ser apresentados, no momento da aplicação, são identidade e Carteira de Vacinação, para comprovar as duas doses ou esquema vacinal completo, com cinco meses de intervalo desde a última. 

A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) destaca a importância desse público comparecer aos locais de vacinação e receber o reforço que protege contra a Covid-19. 

Fique atento à programação

– De segunda a sexta-feira

* Em todas as Unidades Básicas de Saúde (UBSs) – das 8h30min às 11h – exceto as unidades sentinela (UBSs Salgado Filho, PAM Fragata e CSU Cruzeiro). 

* Nas UBSs Fraget, Lindoia e Porto – das 8h30min às 15h 

Publicidade

* No Laboratório Municipal – das 13h30min às 17h 

* No Shopping Pelotas, loja 40, das 17 às 21h 

– Aos sábados

* Escola Estadual Coronel Pedro Osório – das 10 às 15h 

Confira os endereços dos pontos de vacinação

Centro de Eventos – entrada pela avenida Pinheiro Machado, 3.390

Escola Coronel Pedro Osório – rua General Osório, 818 – Centro 

Laboratório Municipal – rua Lobo da Costa, 1.774 – Centro 

Publicidade

Shopping Pelotas – avenida Ferreira Viana, 1.526 – Areal 

UBS Arco-Íris – avenida Pery Ribas, 523 – Três Vendas 

UBS Areal I – rua Apolinário de Porto Alegre, 290 – Areal 

UBS Areal Fundos – avenida Domingos José de Almeida, 4.265 – Areal 

UBS Barro Duro – praça Aratiba, 12 – Laranjal 

UBS Bom Jesus – avenida Itália, 350 – Areal 

UBS Caic – avenida Leopoldo Brod, 3.220 – Pestano 

Publicidade

UBS Cascata – estrada Cascatinha 1, s/n – 5º distrito 

UBS Cerrito Alegre – estrada Cerrito Alegre, s/n – 3º distrito 

UBS Cohab Guabiroba – rua Doutor Arnaldo da Silva Ferreira, 352 – Fragata 

UBAI Lindoia – avenida Ernani Osmar Blaas, 344 – Três Vendas 

UBS Cohab Pestano – avenida Leopoldo Brod, 2.297 – Pestano 

UBS Cohab Fragata – rua Paulo Simões Lopes, 230

UBS Colônia Maciel – acesso Colônia Maciel, s/n – 8º distrito

Publicidade

UBS Colônia Osório – 4º distrito 

UBS Colônia Triunfo – Colônia Triunfo, s/n – 8º distrito

UBS Colônia Z-3 – rua Rafael Brusque, 147 – Laranjal 

UBS Corrientes – BR-116

UBS Cordeiro de Farias – 5º distrito 

UBS CSU Areal – rua Guararapes, 50 A – Areal 

UBS Dom Pedro l – rua Ulisses Batinga, 749 – Fragata 

Publicidade

UBS Dunas – avenida Ulysses Silveira Guimarães (avenida Um), s/n – Areal 

UBS Fátima – rua Baldomero Trápaga, 480 – São Gonçalo 

UBS Fraget – rua Três, 81 – Vila Real/Fragata 

UBS Getúlio Vargas – rua Sete, 184 – Getúlio Vargas 

UBS Grupelli – 7º distrito 

UBS Jardim de Allah – avenida Fernando Osório, 7.430 – Centro

UBS Laranjal – rua São Borja, 683 – Laranjal 

Publicidade

UBS Leocádia – rua David Canabarro, 890 – Areal 

UBS Monte Bonito – 9º distrito 

UBS Navegantes – rua Dona Darcy Vargas, 212 – Porto 

UBS Obelisco – rua Doutor Francisco Ribeiro Silva, 505 – Areal 

UBS Osório (Loteamento) – rua Barão de Mauá, 217 

UBS Pedreiras – 9º distrito 

UBS Posto Branco (anexo Vila Princesa) – Estrada Porto Alegre antiga, Granja Retiro, s/n 

Publicidade

UBS Porto/Puericultura – rua Doutor João Pessoa, 240 – Centro 

UBS Py Crespo – rua Marquês de Olinda, 1.291 – Três Vendas 

UBS Sanga Funda – avenida Engenheiro Ildefonso Simões Lopes, 5.025 – Três Vendas 

UBS Sansca/Vila Castilho – rua Doutor Amarante, 919 – Centro 

UBS Santa Silvana – Colônia Santa Silvana, s/n – 6º distrito

UBS Santa Terezinha – rua São Miguel, 5 – Três Vendas 

UBS Simões Lopes – avenida Viscondessa da Graça, 107 – Centro 

Publicidade

UBS Sítio Floresta – rua Ignácio Teixeira Machado, 299 – Sítio Floresta

UBS União de Bairros – rua 1, s/n – Loteamento dos Municipários 

UBS Vila Municipal – rua Luciano Galleti, 600 – Três Vendas 

UBS Vila Nova – 7º distrito – Vila Nova 

UBS Vila Princesa – rua Quatro, 3.205 – Três Vendas 

UBS Virgílio Costa – rua Epitácio Pessoa, 1.291 – Fragata 

Todos que optarem por realizar a imunização no Shopping Pelotas estarão isentos do pagamento da taxa de estacionamento do local. A gratuidade será concedida a quem apresentar a carteira de vacinação. Além disso, quem comparecer para a vacina e adquirir um ingresso para o cinema, para a data, ganhará outro ingresso sem custo algum.

Publicidade

Informações da SMS

A SMS esclarece que, como regra, todas as vacinas recomendadas no Calendário Nacional de Vacinação podem ser aplicadas no mesmo dia. Sendo assim, não é mais preciso aguardar o intervalo mínimo de 14 dias entre a aplicação do imunizante contra a Covid-19 e qualquer outro do calendário. 

Importante relembrar que continua a orientação às pessoas que apresentarem sintomas gripais de não comparecer na data marcada. O mesmo vale para quem tiver positivado para o coronavírus. É necessário aguardar 30 dias do início dos sintomas para receber a aplicação.

Continue Reading



Publicidade
Publicidade

Mais lidas em três dias