Bairro Parque Una investe forte em segurança

Publicidade |

O bairro planejado Parque Una, em construção atrás do shopping Pelotas, possui um dos mais modernos sistemas de segurança.

O sistema de vigilância do Una funciona 24 horas por dia, aos cuidados de uma equipe do Grupo Athos, funcionários vestindo uniformes azul-celeste, equipados com rádio de comunicação e cassetete. Eles visualizam todo o Parque, de uma sala com monitores, e circulam permanentemente, rondando o lugar e orientando visitantes.

De uma célula de segurança (construção vedada que é o “coração” do sistema), um guarda recebe imagens de todas as áreas do Una captadas por câmeras, e, através de um sistema de som, se comunica por megafones instalados em postes, orientando sobre perigos, dando informes e anunciando os horários de funcionamento e fechamento do Parque.

Quando há a necessidade de deslocamentos mais rápidos e efetivos, os seguranças utilizam um patinete motorizado chamado Segway, equipado com luzes de giroflex, como as que se vê nas viaturas policiais, um veículo útil, sobretudo, à noite.

Leandro, no segway: percorrendo o Parque-bairro

Um reforço fundamental, conquistado em 2018, foi a integração com o sistema de vigilância da Secretaria de Segurança Pública de Pelotas: as mesmas imagens que a célula do Parque capta são vistas simultaneamente nos monitores da Guarda Municipal e da Brigada Militar. “Com isso, ganhamos mais olhos. E resposta maior, se precisar”, diz o pelotense Leandro Gomes e Silva, proprietário do Grupo Athos e chefe da segurança no Parque.

Outra medida em parceria com o Poder Público foi o fechamento noturno do Una ao tráfego de veículos, autorizado pela prefeitura, que impediu movimentações suspeitas e incômodas ao sossego.

Além de zelar pela segurança patrimonial e dos visitantes, os seguranças fazem um trabalho de orientação de boas práticas, de acordo com a Legislação e as normas de convivência do Parque.

“Segurança é mais do que táticas e técnicas ostensivas e defensivas. É também dar um bom atendimento aos visitantes, por isso conversamos com eles, buscando garantir um fluxo correto e uma permanência tranquila para todos no lugar. Mais que um guarda patrimonial, nós operamos como guardas-recepcionistas”, explica Leandro, lembrando que a equipe também é treinada em primeiros socorros e combate a incêndio.

O próprio visitante pode se comunicar com a segurança fazendo uso de call-box, equipamento posicionado em vários postes do parque, identificado pela palavra EMERGÊNCIA, pelo qual, pressionando um botão, podem se comunicar com o funcionário de plantão na célula, para pedir orientação ou socorro.

Pressionando um botão no totem de emergência, visitantes e guardas se comunicam com a central de segurança

A medida mais recente foi a instalação de uma câmera especial na entrada do Parque, na Avenida são Francisco de Paula. Ela filma os veículos que entram e saem. Registra informações (placa, identificação) e as comunica às Secretarias de Segurança. “Com isso, um veículo associado a pessoas que se transformam em empecilho à boa convivência é identificado, facilitando a ação da Guarda Municipal e da Brigada, que acessam as imagens que colhemos”, diz o chefe da segurança do Una.

Até o fim deste ano, uma novidade ganhará forma: plaquinhas informativas com lembretes das normas de convivência no Parque serão espalhadas em pontos fixos de maior movimentação do bairro.

Como complemento ao trabalho de segurança, um grupo de seis atores amadores e estudantes de teatro da UFPel recepciona os visitantes, explicando o conceito do bairro e fornecendo informações quando pedem. Eles também abordam quem comete pequenas infrações, alertando para a importância de darem sua contribuição para preservar o Parque. Todos usam figurinos de bem humorados super-heróis.

Leandro conta que o visitante tem sido receptivo às orientações da segurança que partem da célula e chegam ao público pelos megafones. “Fazemos alertas do tipo ‘Atenção, senhor visitante de camisa amarela: não é permitido andar de bicicleta no mirante’. Alertamos duas vezes por voz. Depois disso, se não houver reação, um integrante da equipe vai até a pessoa alertar de viva voz. Felizmente, as pessoas entendem”.

Projeção do Parque-Bairro Una, em construção

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.