Oposição quer CPI para averiguar problemas na Saúde

O presidente da Comissão de Saúde da Câmara, vereador Marcos Ferreira, do PT, tenta articular a instauração de uma CPI para investigar problemas no atendimento médico no sistema municipal, nos setores de obstetrícia e de atendimento oncológico.

Neste janeiro, um bebê sofreu lesões no crânio durante um parto a fórceps na Santa Casa. Três dias antes, uma mulher perdeu a vida na mesma SC depois de uma cesariana. Já pacientes andam reclamando da falta de medicamentos para tratamento oncológico.

Caso consiga assinaturas suficientes para abrir a CPI, Marcos pretende acrescentar, no “pacote” de temas para apuração, as denúncias de supostas irregularidades nos exames de pré-câncer de colo de útero.

Uma CPI criada exclusivamente para averiguar problemas nos exames de papanicolau foi encerrada no final do ano passado, sem concluir os trabalhos, por desistência de vários dos proponentes da comissão de inquérito. A desistência ocorreu por razões políticas, depois da escolha de um vereador do PSDB, partido da prefeita, para ser o relator – vereador Enéias Clarindo.

Resumindo: Por acharem que ia dar em nada, resolveram que desse em nada por antecipação.

Da redação – A desistência naquela CPI enfraquece politicamente a tentativa de uma nova CPI e a retomada daquela apuração. Mas tudo pode acontecer, depois que a prefeitura, que tem maioria na Câmara, perdeu duas votações recentes para projetos de sua autoria que considerava importantes para o governo: a criação de uma taxa de iluminação e um plano de rearranjo legal dos salários de servidores.

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.