Nunca duvide das Redes Sociais. Jamais!

Num passado não muito longínquo, políticos gastavam milhões e milhões de reais, com propagandas políticas, o direito em ter uma mísera brecha para um debate televisionado, os famosos “santinhos” e diversos anúncios em outros meios de comunicação.

O presidente eleito, Jair Bolsonaro, mostrou que todos esses artefatos já fazem parte do passado. Bolsonaro se elegeu graças ao poder das Redes Sociais. Sua campanha não teria ultrapassado a 1,5 milhão de reais. Um valor irrisório para o cargo em que almejava.

As Redes Sociais vieram, basicamente, para somar em assuntos pertinentes do nosso cotidiano. Elas ajudam pela velocidade e alcance com que se propagam. Além de não afetar de forma visível o nosso bolso, uma informação pode ser repassada ao vivo para outro país, por exemplo.

Em Pelotas, no final de 2018, foi através também de uma vasta mobilização nas Redes Sociais, que dois projetos, então criados pela prefeitura, não vingaram: o primeiro mexeria nos salários dos professores e o segundo nos daria, de Natal, uma taxa para a iluminação pública. É preciso, válido e extremamente importante, a presença “de corpo” do cidadão, reivindicando os seus direitos, porém, a mobilização nas Redes Sociais foi uma arma poderosíssima a favor do povo, e nestes casos, foi fundamental contra propostas do “poder máximo” do município.

Os trabalhadores e o empresário andavam, e ainda andam cansados de mais taxas e impostos, assim, unem-se por meios das mídias digitais, em prol dos seus anseios e condições financeiras. Se o povo já “era poderoso”, segundo alguns ditos populares, agora, através das Redes Sociais, poderá ser imbatível.

Em Pelotas foi comentado através de alguns trabalhos, nas Redes Sociais, sobre os benefícios aos cofres públicos, se o quadro dos CCs fosse diminuído. Em um único vídeo de um internauta, o alcance chegou a mais de 30 mil envolvimentos e quase 21 mil visualizações. Não há certeza e jamais haverá, se o “alto escalão” da prefeitura teve o conhecimento daquela gravação, porém, logo em seguida ao material proposto na Internet, a prefeita de Pelotas, ativou a UPA da Avenida Bento Gonçalves, que foi o principal assunto do vídeo.

Mesmo estando definido, pelo menos para este primeiro momento, em que a UPA não trabalhará com o Pronto Atendimento, sabemos que a mesma prestará serviços para crianças, adolescentes e gestantes. Assim, creio que os internautas, os quais destinaram algum período do seu dia para comentar sobre esse ponto, estão felizes por terem ajudado, neste que é um dos quesitos mais esquecidos pelos políticos. A saúde em todo o país é precária.

Segundo a prefeitura, ela “cumpre” uma de suas promessas de campanha, que cita a idealização daquela Unidade de Pronto Atendimento. Para nós, simples cidadãos, pouco interessa se a UPA funcionará ou não, pela metade. Neste período de vasta crise financeira, o que vier, vem bem. O que vale é que centenas de jovens e futuras mães poderão utilizar esse direito, o seu direito. A palavra “dignidade” sairá, de fato, do papel.

Acredito que estamos trafegando na estrada certa. As Redes Sociais se forem manuseadas de maneira correta e sem qualquer espécie de apelação, são ferramentas fenomenais e que vêm para somar em nossas vidas. A população da nossa Pelotas, que tanto amamos, já entendeu e frequentemente se manifesta com o auxílio deste artifício, para ajudar ao próximo. Além do mais, manda o seu “recado” para quem governa.

Marcelo Oxley é jornalista

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.