Funcionários da UFPel denunciam assédio moral

Mais de uma dezena de funcionários da UFPel procurou o Ministério Público para fazer denúncias de assédio moral na Universidade.

O site ouviu o reitor Pedro Hallal. Ele reconhece que houve denúncias, mas que, pelo regramento da Universidade, não pode dar detalhes dos processos.

Hallal diz que teve conhecimento até agora de dois processos relativos à EBSERH (Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares, estatal federal que gere o Hospital Escola). “Ambos referem-se a denúncias de assédio moral no âmbito do Hospital Escola da UFPel”, falou Hallal.

Continuou ele:

“Em ambos os casos, a apuração preliminar deu-se no âmbito da EBSERH, como prevê o contrato celebrado entre UFPel e EBSERH. Tendo em vista o teor dos processos, a apuração detalhada será agora feita no âmbito da UFPel, por meio de processos administrativos disciplinares”.

O reitor finalizou:

“Por se tratarem de análises de possíveis infrações disciplinares cometidas por servidores públicos, as investigações transcorrem em sigilo, até mesmo dos gestores. Após recebidos os relatórios finais das comissões, já analisados pela Procuradoria Federal junto à UFPel, a autoridade julgadora, no caso o Reitor ou o Vice, em caso de impedimento do Reitor, delibera e aplica as eventuais punições”.

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.