Prefeitura está na iminência de atrasar salários

A prefeita Paula Mascarenhas (PSDB) enfrenta um momento delicado na administração de Pelotas.

O Executivo enfrenta o problema da falta de dinheiro. Nem mesmo pode contrair novas dívidas, por falta de garantias, como ocorreu com o Fonplata, do qual teve de desistir.

Prefeitura toma medidas para economizar

O desafio para equilibrar as contas

Hoje Paula esteve com o ministro Gilmar Mendes, em Brasília. Pediu a ele para reverter um saque de R$ 3,5 milhões das contas do Município, feito pelo Tribunal de Justiça do RS, para pagamento de dívidas perdidas na justiça pela prefeitura, os chamados precatórios.

A prefeitura pagava mensalmente R$ 1,1 milhão a título de precatórios. Neste mês, porém, a cobrança subiu para R$ 3,5 milhões.

Se o apelo a Mendes não der certo, todo mês será o mesmo, um saque de R$ 3,5 milhões.

A prefeitura, que há pouco pediu (e conseguiu) R$ 10 milhões emprestados de um fundo da Câmara de Vereadores, para não atrasar salários, ao menos nos primeiros meses deste ano, poderá vir a atrasar salários desde já, porque o dinheiro que entrou por um lado está saindo pelo outro.

Devemos torcer, claro, para que não aconteça.

©

Rubens Spanier Amador

Jornalista.

Visite o facebook do autor

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.