O que eu penso do Daniel Trzeciak, fora da tevê

Daniel

Nesta semana, o deputado federal Daniel Trzeciak, do PSDB, me telefonou. É jornalista, como eu. É legal ele.

Sendo totalmente sincero, me parece difícil a gente não gostar do Daniel.

Quando ele te encontra, imediatamente abre o sorriso e arregala os olhos, como se estivesse pronto para ouvir o relato da tua última façanha.

É um simpático.

Ele me ligou para informar que havia protocolado seu primeiro e bom projeto – que corta o auxílio-mudança para parlamentares.

Eu o cumprimentei pela vitória na eleição – foi alçado à Câmara Federal com mais de 70 mil motos. Não é pouca coisa.

No meio da conversa, falei também que só lamentava na trajetória dele, até aqui, o fato de ter votado, como vereador, a favor da contratação de 17 cargos de confiança para o pré-deficitário Sanep, proposta pela prefeita Paula.

Custo dos 17, em salários, aos combalidos cofres municipais: Mais de R$ 2 milhões por ano.

Falei que eu achava que esse gesto, na prática, anulava o belo gesto anterior dele de cortar despesas de correio, xerox e telefone de seu antigo gabinete de vereador, pois a economia que ele fez foi superada pela despesas que ajudou a criar aprovando os 17 novos ccs.

Ele me respondeu que me entende e aceita a crítica. Vê como normal haver divergências entre as pessoas, sobretudo entre políticos e jornalistas.

Ficou assim. Mantemos uma boa relação, profissional, e segue a vida.

Eu desejo sempre, como todos, que as pessoas surpreendam positivamente, senão sempre, na maior parte do tempo.

Por isso, hj em dia, sempre tento avaliar o caráter do outro pelo conjunto da obra, não por um ato isolado.

Sucesso, Daniel, grato pelo telefonema e pela cortesia. Que faça um grande mandato.

Abração pra ti!

© Rubens Spanier Amador é jornalista.

Facebook do autor | E-mail: rubens.amador@yahoo.com.br

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.