A cara do empate do Brasil

Embalado pela torcida e com muito empenho, Xavante empata com o Grêmio no Bento Freitas. Foto: Carlos Insaurriaga

Do site do Xavante – Por Matheus Cabistany | A história mais do que centenária do Grêmio Esportivo Brasil é marcada por diversos momentos de superação. E indubitavelmente ela tem como protagonista-mor a Maior e Mais Fiel torcida do interior gaúcho. Na tarde deste domingo (17), em um Bento Freitas praticamente lotado, o Xavante somou um ponto fundamental para a sequência da competição. Mas o empate de hoje vai além disso.

O Xavante viveu uma semana intensa entre a última partida disputada dentro de casa e o confronto de hoje diante do tricolor de Porto Alegre. Em sete dias, mudança no comando técnico, viagem interestadual e uma classificação histórica para o futebol pelotense à segunda fase da Copa do Brasil. Em contraste, o desgaste físico dos atletas e a amarga última colocação do Campeonato Gaúcho eram pontos preocupantes para o jogo de hoje.

A tarefa não era das mais simples. Disputadas seis rodadas do campeonato gaúcho, o Brasil ainda não havia vencido. Do outro lado, o líder do certame. Uma equipe com média superior a três gols por partida. Para encarar o desafio, o Xavante necessitava do “algo a mais”. Daquela força que tanto move o clube ao longo de sua história: a paixão do seu torcedor. E, como de costume, ela estava ali. Não falhou.
Durante os 90 minutos os atletas absorveram a energia vindo da arquibancada e “se multiplicaram” em campo, marcando muito forte e disputando cada bola. A sinergia torcida-time foi fundamental para conseguir parar a equipe da capital, com oportunidades de sair com um resultado ainda melhor.

O melhor momento do Brasil no jogo foi nos dez minutos finais, quando o lateral-esquerdo gremista, Juninho Capixaba, foi expulso e a equipe de Gustavo Papa ficou com um jogador a mais. O Brasil de equipe reativa passou a propor o jogo, com boas situações, principalmente na bola parada, com escanteios e faltas próximas à área. Mas a equipe gremista segurou o ímpeto Xavante e o placar permaneceu zerado.

Com o resultado, o Brasil permanece na zona do rebaixamento, agora com 4 pontos ganhos. Mas a partida de hoje pode ser um marco para buscar a reação. O resgate do “DNA Xavante” deu ao torcedor motivos para esperar que é possível nas quatro partidas que restam alcançar a pontuação necessária para alcançar o objetivo do clube na competição. O Xavante agora terá nove dias até o próximo compromisso, pois só volta a campo na terça (26), quando irá encarar o São José no estádio Passo D’Areia, às 19h15.

Ficha técnica:

Brasil: Carlos Eduardo, Ricardo Luz, Leandro Camilo, Bruno Aguiar, Pará, Leandro Leite, Washington (Boquita), Sousa, Branquinho, Daniel Cruz (Bruno Paulo) e Luiz Eduardo (Michel). Técnico Gustavo Papa.

Grêmio: Julio César, Leonardo, Paulo Miranda, Kannemann, Juninho Capixaba, Rômulo, Michel, Montoya (Éverton), Jean Pyerre (Thonny Anderson), Pepê e Felipe Vizeu (Marcelo Oliveira). Técnico Victor Hugo Signorelli.

Cartões amarelos: Leandro Leite, Washington e Daniel Cruz (B); Paulo Miranda e Juninho Capixaba (G).

Cartão vermelho: Juninho Capixaba (G).

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.