Prefeitura garante que ‘fortalece’ parcerias de atendimento na UPA Bento

Do site da prefeitura – A proposta de nova utilização do prédio da Unidade de Pronto-Atendimento (UPA) da avenida Bento Gonçalves, praticamente pronto, para prestar serviços a crianças e adolescentes avança no campo das parcerias.

Reunião promovida pela Prefeitura, com a secretária de Saúde Ana Costa, diretores e chefes de departamentos da Secretaria de Saúde (SMS), Universidade Federal de Pelotas (UFPel) e com o presidente do Conselho Municipal de Saúde, Jaime Fonseca, realizada na manhã desta terça-feira (19), evoluiu na análise de possibilidades de agregar, qualificar e somar novas alternativas à atenção oferecida a essa faixa de público.

O representante da UFPel, professor da Faculdade de Medicina, Marcelo Capileira, apresentou a proposta de migração do Centro de Neurodesenvolvimento da instituição para o novo prédio, agregando os serviços de todo o núcleo – os já disponibilizados e outros.

O Centro trabalha com neuropediatria, reabilitação, nutrição, psiquiatria infantil, eletroencefalograma (dois aparelhos), polissonografia, psicologia, terapia ocupacional e desdobramentos. Para o professor, o objetivo seria que o paciente entrasse por uma porta e saísse por outra com todo o percurso do tratamento definido.

“A possibilidade do paciente ser único, receber avaliação padronizada e bem-feita gera avaliação de segurança quanto ao serviço de assistência”, afirma a secretária de Saúde, Ana Costa. O prédio da UPA Bento deverá sediar serviços da linha materno-infantil e prestar atendimento ao público do Centro de Atenção Psicossocial Infantil (Capsi), da saúde escolar e do neurodesenvolvimento.

Na reunião, ficou acertado que a linha materno-infantil definirá o espaço a ser ocupado, horários (turnos) e possibilidade de compartilhamento de dependências. A área restante será preenchida pelos demais serviços, contemplando o fluxo de avaliação do paciente.

Projeto com definição da nova proposta de utilização do prédio que seria para uma unidade de pronto-atendimento deverá ser enviado ao Ministério da Saúde até o final de março. Na elaboração, trabalham o Poder Público, por meio da SMS, o controle social, através do Conselho Municipal de Saúde, e as parcerias (Universidades Federal e Católica). O Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) também vai ter sua base no local.

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.