Havan pode desistir de loja em Sta Cruz

Em uma nova reviravolta na polêmica da instalação da Havan em Santa Cruz do Sul (RS), o proprietário, Luciano Hang, afirmou na tarde desta quarta-feira, 20, que virá a Santa Cruz na próxima terça-feira (26). Quer conversar pessoalmente com o presidente do Sindicato dos Comerciários, Afonso Schwengber, que, na prática, está inviabilizado a presença na loja na cidade.

Nesta quarta-feira, após entrave na negociação com o sindicato em relação ao trabalho aos domingos e feriados, o gerente de Recursos Humanos (RH) da rede de lojas catarinense, Aurélio Paduano, afirmou que a empresa havia decidido adiar a instalação de uma unidade no município.

“Com este entrave temos que abrir mão e buscar outro local. É uma pena”, chegou a dizer.

O Sindicato dos Comerciários ao Sindilojas é contra a abertura de lojas aos domingos e feriados. E soltou a nota abaixo:

Nota

Na tarde desta quarta-feira, 20, o Sindilojas Vale do Rio Pardo recebeu o retorno do Sindicato dos Comerciários sobre a proposta encaminhada pela Havan para a abertura da loja em Santa Cruz do Sul e o trabalho nos domingos e feriados. Segundo o ofício encaminhado pelos comerciários, a decisão da assembleia realizada pelo sindicato dos trabalhadores prevaleceu, ou seja, a categoria não aprovou a abertura do comércio aos domingos e feriados.

O presidente do Sindilojas Vale do Rio Pardo, Mauro Spode, lamentou a decisão dos comerciários. “Acreditávamos que a geração de 150 novos empregos, aliada à atração de consumidores de fora do município a partir da instalação da Havan na cidade pudesse sensibilizar a categoria, mas não houve acordo”, comentou Spode. Ele ainda destacou que a grande maioria dos santa-cruzenses gostaria de contar com o investimento da loja catarinense, mas infelizmente o desejo da comunidade não foi ouvido.

A advogada trabalhista do Sindilojas, Adriane Borba Karsburg, revelou que nada impediria que as negociações continuassem, mesmo que esteja em vigor uma Convenção Coletiva que encerra em 31 de outubro. “A negociação entre Sindilojas e Sindicato dos Comerciários era para que somente a Havan pudesse abrir, o que foi autorizado pela assembleia realizada entre os comerciantes da cidade”, afirmou.

Adriane salientou que esperava uma contraproposta do Sindicato dos Comerciários ao que foi sugerido pela Havan. “Mas foi apenas analisado se os comerciários queriam ou não trabalhar aos domingos e feriados”, lamentou. A advogada já comunicou a Havan da decisão dos comerciários. “Assim que fomos comunicamos oficialmente, repassamos a informação para a Havan”, ressaltou. De acordo com ela, os responsáveis pela loja ainda não definiram os próximos passos da empresa a partir da resolução dos comerciários.

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.