“Amigo é quem vê em você qualidades que você ainda não tem”, como dizia Chico Xavier

Você precisa de amigos que ouçam sem lhe julgar. Que mesmo não concordando, lhe compreendam.

Você precisa de liberdade para falar sem ser distorcido, sem usarem suas próprias palavras contra você. Que captem suas melhores intenções, ao invés de imaginarem motivações negativas. Que lhe respeitem nas divergências e mesmo quando as diferenças forem grandes, que a amizade sobreviva apesar disso.

“Amigo é quem vê em você qualidades que você ainda não tem”, disse uma vez o Chico Xavier, sinalizando que estamos em evolução e um dia seremos merecedores de pensarem bem de nós. Esse “julgamento benigno” é uma dádiva no mundo competitivo de hoje, saber que existe quem vê qualidades que nem nós mesmos acreditamos ter. Mas nem precisa tanto, sermos gostados com nossos defeitos talvez seja melhor ainda.

Ser egocêntrico é fácil e instintivo, pensar só nas próprias necessidades é o mais comum. Ser capaz de se colocar no lugar do outro é que faz a diferença, porque precisamos que alguém faça isso por nós. O que você precisa é o mesmo que eu preciso, ninguém pode viver sem empatia, sem alguém que se importe com nossos sentimentos. Empatia é um nome “científico” de se interessar pelo bem estar do outro, a base de todas as formas de afeto.

A ciência já provou que ninguém vive sem afeto, crianças no primeiro ano de vida tem uma mortalidade maior quando tem menos atenção, constataram estudos feitos em hospitais. A depressão pode matar de muitas maneiras, uma delas é a inibição do sistema imunológico, que predispõe a doenças. Outro perigo é a pessoa crescer revoltada, conflituada, o que significa maior risco de vida numa sociedade violenta como a nossa.

Sociólogos apontam que na sociedade de massas, das superpopulações urbanas, os relacionamentos são cada vez mais superficiais, descartáveis. Precisamos ser “aceitos pelo grupo” e isso nos coloca em oposição a outros grupos que pensam diferente e disputam espaço. Mas o que você precisa continua sendo o mesmo que o outro precisa.

© Montserrat Martins é médico psiquiatra

Facebook do autor

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.