Falta de médicos na UBS do Sitio Floresta parece ser um problema de gestão

A Assessoria de imprensa da prefeitura forneceu algumas informações ao Amigos de Pelotas, nesta quarta-feira (6), sobre uma denúncia de falta de médicos na UBS Sítio Floresta, feita por um leitor. Quem denunciou anexou o cartaz abaixo, preso à parede da UBS

Primeiro, veja o que respondeu a prefeitura:

O médico Ismael é do Programa Mais Médicos e solicitou desligamento, por aprovação em residência médica. Último dia trabalhado foi 28/02. Como o profissional é do Programa Mais Médicos, o município precisa esperar o encaminhamento de outro médico pelo Ministério da Saúde. A outra médica, Letícia, está trabalhando normalmente.

Aí apareceu um nebulosa:

Primeiro, veja o cartaz abaixo, fotografado hoje, avisando aos visitantes:

O cartaz se refere ao médico Ismael – Sem médico. Ok, já sabemos, pela prefeitura, que ele é do Programa Mais Médicos e deixou o posto porque foi fazer residência.

Mas então aparece no cartaz o nome de outra médica. Médica Laura, não mencionada pela assessoria da prefeitura, embora exista e dê expediente na UBS.

O cartaz não menciona a médica de que a prefeitura fala, Letícia. Não menciona, pelo que o jornal apurou até aqui, porque ela não existe, não na UBS Sítio Floresta. Parece ter sido uma confusão.

O jornal apurou e descobriu que a médica Laura existe. Mas não existe uma médica Letícia.

O jornal também descobriu que a UBS deveria ter três médicos e não dois, como hoje.

Diretrizes do Ministério da Saúde estabelecem um médico para cada 3.500 pacientes, conforme a área abrangida. Na UBS, são mais de 10 mil pessoas abrangidas pela cobertura geográfica em torno. Sendo mais de 10 mil, era para a UBS ter três médicos em vez de dois.

Dois médicos já estariam sobrecarregados. Mas, como Ismael saiu no final de fevereiro sem previsão de um substituto para ele, e como Letícia não existe, os 10 mil candidatos a atendimento na UBS estão a cargo de um médico só, a doutora Laura.

Laura, que também é do Mais Médicos e não estava na UBS nesta quarta-feira porque não deveria mesmo estar. Por força de contrato, é obrigada a frequentar num dia de semana um curso obrigatório do Programa MM – justamente nesta quarta-feira, como ocorre há meses.

Conclusões:

  1. Letícia é um mistério.
  2. Esqueceram de escolher um substituto para Ismael a tempo.
  3. Laura está sozinha para atender um público que deveria ser atendido por três médicos, não por dois, nem por um, nem ser atendido por ninguém, como ocorreu nesta quarta-feira, sem que Laura tivesse culpa alguma.
  4. Dá para arriscar com boa dose de segurança que a prefeitura vem falhando na gestão da UBS.

A Assessoria oficial ficou de buscar mais informações para amanhã, quinta, e elucidar a questão.

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.