Prefeitura na rua contra maus-tratos a cavalos

Da prefeitura | Por Daiane Santos |

Conscientização. Essa é palavra que inspirou e motivou o Comitê Municipal de Proteção Animal (Comupa), da prefeitura, a reunir as secretarias para mais uma operação integrada, realizada na manhã dessa sexta-feira (15).

Para coibir maus-tratos a cavalos e orientar a população sobre os cuidados com esses animais, além de estimular os charreteiros a emplacarem conduções e colocarem faixas reflexivas para segurança.

Aqueles que estavam com os documentos, receberam na hora a placa de identificação.

Quem estava sem os documentos de identificação, era orientado a procurar a Secretaria de Transporte e Trânsito para regularizar a situação. Outros receberam instruções sobre os cuidados com os cavalos, já que alguns apresentavam pequenos machucados ou estavam presos à charrete com equipamentos inadequados.

“Só de olhar o pelo temos uma ideia de como os bichos são tratados. Isso é algo que cuidamos, dentre outros detalhes”, explicou a veterinária responsável pelo Hospedaria de Animais e membro do Comupa, Karina Goularte D’ávila.

Sete charreteiros foram abordados durante a operação, que percorreu as vilas Ceval, Pantano, Castilho e Fragata. Um deles foi Miguel Angel Fortette, de 51 anos, morador do Pantano. Ele estava com o cavalo pronto para sair quando recebeu as equipes da Prefeitura e fez questão de mostrar como cuidava bem do animal.

“É minha forma de sustento. Não tenho como comprar um carro pra trabalhar, por isso preciso tratar bem”, afirmou, enquanto indicava os cascos bem protegidos do companheiro de trabalho.

Essa é a segunda operação realizada pela Prefeitura. Presidente do Comupa, Henrique Fetter explica que, nessa fase inicial, o foco está sendo a orientação e a conscientização da comunidade sobre o tema, mas no futuro as ações devem assumir caráter mais firme e fiscalizatório. “Vamos começar a apreender os animais em caso de maus-tratos. Hoje chamamos a atenção e avisamos das regras para quem conduz charretes na cidade, no entanto, a ideia é passar a punir os futuros infratores”.

Os proprietários acompanharam a atuação dos veterinários, que examinaram as condições de saúde dos animais, consideradas boas no geral. “Isso não significa que todos são assim. Há casos graves de maus-tratos em Pelotas e vamos buscar essas situações”, comentou um dos fiscais Ambientais que acompanharam a operação. Além da STT e de membros do Comupa, participaram da ação a Guarda Municipal e representantes das secretarias de Qualidade Ambiental (SQA) e de Serviços Urbanos e Infraestrutura, e da ONG Gesto.

Apreensão de animais

Desde o início do ano, 52 cavalos foram recolhidos e encaminhados à Hospedaria Municipal de Animais de Grande Porte pelo setor de Apreensão de Animais da Prefeitura. Os donos de 30 deles já foram buscar os animais no local, mas cerca de 20 ainda aguardam destino.

Conforme a veterinária responsável pelo Hospedaria, Karina Goularte D’ávila, uma nova adoção deve ser realizada em abril. Até lá, os equinos serão mantidos pela Prefeitura, com apoio do Hospital Veterinário da Universidade Federal de Pelotas (UFPel). “Além de chipar os animais, eles também garantem os cuidados médicos sempre que necessário”.

Fiscalização ambiental

Durante a operação realizada pela Prefeitura, a equipe de fiscalização ambiental identificou um estabelecimento comercial no Fragata fora dos padrões ambientais. O local já havia sito autuado e multado por não ter licença, e será novamente acionado pela SQA, tendo em vista a continuidade do problema.

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.