Brasil vence e permanece na elite do Gauchão

Jonathan Silva | Do site do Xavante |

Todo clássico é especial. O Bra-Pel é ainda mais. Pela 363º vez, os dois maiores rivais entraram em campo em um jogo cheio de elementos.

A inovação da torcida mista traduziu aquilo que todos desejam: paz nas arquibancadas. E a história não poderia ser melhor para o lado rubro-negro.

A vitória por 2 a 1, com gols de Pará e Michel, na tarde deste domingo (17), no Bento Freitas, garantiram matematicamente a permanência na elite do futebol gaúcho.

E mais: colocou o time Xavante na disputa por uma das oito vagas na próxima fase da competição. A alegria da Maior e Mais Fiel traduziu a euforia. O grito ecoado na Baixada mostrou: isso aqui é Brasil!

Com a bola rolando, o relógio não havia nem terminado de completar a sua primeira volta e Bruno Paulo recebeu passe de Michel e bateu com perigo. Aos 4, foi Michel quem arriscou e viu ela passar sobre o gol de Airton. Aos 7, porém, o Bento Freitas rugiu.

Pará cobrou falta na intermediária, a bola voou pela área, passou pelo goleiro do Pelotas e parou no fundo do gol. Festa na Maior e Mais Fiel. Brasil 1 a 0. E no minuto seguinte, Michel só não ampliou o placar por que o goleiro Airton fez um milagre após o cabeceio do centroavante rubro-negro.

Aos 25, foi a vez de Carlos Eduardo se agigantar e dizer: aqui tem goleiro. Jarro chutou na entrada da área e o goleiro Xavante fez uma grande defesa. Aos 36, Jarro, porém, aproveitou bola na área e empatou o clássico Bra-Pel. Aos 40, Branquinho respondeu. O atacante chutou de fora e a bola tirou tinta do travessão adversário.

A segunda etapa começou com pressão rubro-negra. O time do técnico Gustavo Papa sabia da importância da vitória. E buscou ela. Aos 10, Diogo Oliveira aproveitou rebote e bateu. Airton defendeu, mas ela sobrou nos pés de Bruno Paulo que, de forma inteligente, cruza pro meio da área e encontra Michel. Com faro de artilheiro, o camisa 9 só escorou para o fundo das malhas. Brasil 2 a 1.

Aos 15, Michel marcou o seu segundo gol na partida, o terceiro Xavante no jogo. Mas o árbitro Leandro Vuaden invalidou. Detalhe: no momento da cobrança de falta de Ricardo Luz, o centroavante estava em posição regular. Aos 19, Jarro aproveitou sobra de bola, invadiu a área e viu um Carlos Eduardo se agigantar sobre ele. Outra gigante defesa do goleiro rubro-negro.

Aos 20, Reinaldo Dutra entra em uma dividida com o pé alto, acerta Branquinho e recebe o cartão vermelho diretamente. Aos 36, foi Heverton quem terminou mais cedo a sua participação na partida, ao receber o segundo cartão amarelo.

Com ares dramáticos, como manda um clássico emocionante, a partida chegou ao fim. Quando trilou o apito do árbitro Leandro Vuaden, um grito forte ecoou no Bento Freitas: respeitem essa instituição. O Brasil venceu o clássico 363 e está garantido na elite do futebol gaúcho em 2020. Um domingo inesquecível. Com sofrimento, com muito suor, com muita garra. Isso aqui é Brasil!

Ficha técnica:

Brasil: Carlos Eduardo, Ricardo Luz, Leandro Camilo, Héverton, Pará, Leandro Leite, Souza, Daniel Cruz (Branquinho), Diogo Oliveira (Maicon Assis), Bruno Paulo (Helder) e Michel. Técnico: Gustavo Papa.

Pelotas: Airton, Gimenez (Rubinho), Dão, Felipe, Rômulo, Makelele, Reinaldo Dutra, Germano (Léo Costa), Léo Bahia (Giovane Gomez), Jarro e

Claudio Correa. Técnico: Gavilan.

Gols: Pará, aos 7min1T, e Michel, aos 10min2T (B); Jarro, aos 36 min1T (P).

Cartões amarelos: Ricardo Luz, Heverton e Sousa (B); Felipe e Makelele (P).

Cartões vermelhos: Heverton (B); Reinaldo Dutra (P).

Brasil 2 x 1 Pelotas – 10ª Rodada – Gauchão 2019 – Fotos Carlos Insaurriaga e Jonathan Silva

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.