Promotor Olavo Passos teve dia cheio

Promotor Olavo

Promotor José Olavo Bueno Passos tirou esta terça-feira (19) para anunciar, de viva voz, em coletiva de imprensa, um pacote de três decisões profissionais de peso.

Duas decepcionantes, sobretudo para as famílias das vítimas; uma, não decepcionante.

Decepcionantes:

Por falta de provas, decidiu pedir arquivamento de duas investigações de desaparecimento de pessoas, mulheres, em Pelotas.

Pedido de arquivamento da investigação do sumiço da professora Cláudia Hertleben, ocorrido em 2015.

Pedido de arquivamento da investigação do desaparecimento da estudante da UFPel Mirella Ponto de Motta Gomes.

A menos decepcionante:

Anunciou que denunciou o padrasto e a mãe do bebê Bernardo, de um ano, por homicídio, crueldade e não dar chance de defesa.

Conclusões plausíveis:

  1. Por falta de evidências suficientes, arquive-se.
  2. Por exuberância de evidências, denuncia-se.
  3. A exuberância pode até resultar em denúncia, como no caso da professora Cláudia; mas nem sempre o juiz considera a denúncia consistente. Olavo denunciou uma vez o ex-marido e o filho de Cláudia, mas o juiz Paulo Ivan considerou a acusação insuficiente. Ele contou que pensou em fazer uma segunda denúncia, mas desistiu, preferindo requerer o arquivo.

Promotor denuncia padrastro e mãe de menino abusado e morto

Promotor Olavo Passos tb pede arquivamento do caso Mirella

MP pede arquivamento do caso da professora desaparecida

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.