Polícia Federal investiga supostas ameaças de atentado em campus da Ufrgs

A Polícia Federal foi chamada pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS), nesta quarta-feira (20), para apurar supostas ameaças de ataque na instituição.

A PF diz que “está dando o devido tratamento à informação”.

Postagens em fóruns da Deep Weeb falam sobre atentados no campus do Vale, onde um usuário anônimo sugere que a “segurança é falha”.

Um professor confirmou à reportagem do Correio do Povo que uma reunião ocorreu na tarde de terça-feira na universidade para debater a segurança no local. Por isso, a administração chamou a PF, para uma diligência em caráter de prevenção.

Um e-mail foi encaminhado aos corpos docente e técnico de uma das faculdades, pedindo que quaisquer atitudes estranhas ou suspeitas deveriam ser relatadas à vigilância da universidade. Vazada para alunos, a mensagem se disseminou em grupos de WhatsApp.

A UFRGS encaminhou nota oficial sobre o assunto. Em resumo, diz que “acionou, preventivamente, o setor de segurança da Agência Brasileira de Inteligência (ABIN), polícias Federal e Civil e o setor de inteligência da Brigada Militar, e reforçou a segurança interna”.

“A Universidade Federal Rio Grande do Sul, assim como algumas outras universidades brasileiras, recebeu informações de ameaça de atentado no Campus do Vale, semelhante ao ocorrido em Suzano, SP.

Diante disso, a Universidade acionou, preventivamente, o setor de segurança da Agência Brasileira de Inteligência (ABIN), polícias Federal e Civil e o setor de inteligência da Brigada Militar e, ainda, reforçou sua segurança interna. A UFRGS tomou essas medidas a fim de proporcionar a manutenção de todas atividades no local com segurança e tranquilidade”.

Nota da Reitoria da UFRGS

“A Universidade Federal Rio Grande do Sul, assim como algumas outras universidades brasileiras, recebeu informações de ameaça de atentado no Campus do Vale, semelhante ao ocorrido em Suzano, SP. Diante disso, a Universidade acionou, preventivamente, o setor de segurança da Agência Brasileira de Inteligência (Abin), polícias Federal e Civil e o setor de inteligência da Brigada Militar e, ainda, reforçou sua segurança interna. A UFRGS tomou essas medidas a fim de proporcionar a manutenção de todas atividades no local com segurança e tranquilidade”, diz nota oficial da Reitoria da UFRGS.

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.