Combate ao assédio moral é tema de evento em hospitais da Ebserh

No Ceará…, segundo site da Ebserh, Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares.

Em Pelotas, o Hospital Escola da UFPel tb é administrado pela Ebserh.

No mesmo HE local, o problema foi constatado pelo Ministério Público Federal, que continua debruçado sobre o tema.

Do site da Ebserh (governo federal) |

Em salas absolutamente lotadas e com uma participação expressiva tanto de colaboradores como de gestores, 313 pessoas compareceram às atividades do evento “Assédio Moral – Conscientizar é preciso” no Complexo Hospitalar da Universidade Federal do Ceará, vinculado à Rede Ebserh, nesta quinta e sexta-feira, 21 e 22 de março. O Ceará é o primeiro estado neste ano e o quinto desde que o projeto começou no ano passado a receber esse evento.

Na quinta, foram realizadas três edições da palestra “Sobre limites e pontes: como gerenciar relacionamentos e evitar o assédio moral no trabalho”, sendo uma por turno (manhã, tarde e noite). Ao todo, 203 pessoas participaram. Nesta sexta pela manhã, foi a vez de 110 gestores assistirem à palestra “Gestão sem ansiedade: como evitar o assédio moral no trabalho”. No período da tarde, os colaboradores foram convidados a participar de uma escuta qualificada com psicólogos.

Só após sindicância, Reitoria da UFPel decidirá se afastará ou não servidor denunciado por assédio moral

As palestras foram conduzidas por Kátia Lima, psicóloga servidora do Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios (TJDFT) e especialista em gestão de pessoas e psicologia cognitivo comportamental. “O que percebi de característica especial do Ceará foi uma vontade de participar, de resolver. Um envolvimento muito grande com a temática e até mesmo com as soluções propostas”, avaliou a palestrante.

Conciliação e mediação

Para Heli Costa, chefe do Serviço de Relações de Trabalho da Rede Ebserh, disse que eventos como esse têm servido para subsidiar ações na sede da estatal com relação ao assédio moral. “Uma delas é a criação de uma comissão de conciliação e mediação para tratar de casos de assédio moral. Isso já é fruto desse projeto, além de outras questões que os colaboradores e os gestores têm pontuado para subsidiar políticas de gestão de pessoas”, afirmou.

O superintendente do Complexo Hospitalar da UFC, Luciano Moreira, avaliou como positivo o evento no Ceará. “É de extrema importância que a nossa comunidade hospitalar tenha a oportunidade de discutir temas que possam contribuir para a melhoria da qualidade de vida no trabalho”, disse.

A técnica em contabilidade do Complexo Hospitalar da UFC, Érica Rodrigues, participou de uma das palestras. “O capital intelectual que a pessoas adquirem numa palestra como essa contribui para a qualidade de vida no trabalho”, pontuou. Luís Leal, assistente administrativo, disse estar feliz pelo fato de a Ebserh combater o assédio moral. “Agora, compreendemos o que é assédio moral, como acontece e quais são os caminhos que você tem para combater essa realidade”, acrescentou. O colaborador vítima ou testemunha de assédio moral pode procurar a Ouvidoria local ou da própria Ebserh para denúncias.

A realização foi do Serviço de Relações de Trabalho da Diretoria de Gestão de Pessoas da Ebserh em parceria com a Divisão de Gestão de Pessoas dos Hospitais Universitários do Ceará.

Sobre a Ebserh

Desde novembro de 2013, o Complexo Hospitalar da UFC faz parte da Rede Ebserh. Vinculada ao Ministério da Educação (MEC), a Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh) administra atualmente 40 hospitais universitários federais. O objetivo é, em parceria com as universidades, aperfeiçoar os serviços de atendimento à população, por meio do Sistema Único de Saúde (SUS), e promover o ensino e a pesquisa nas unidades filiadas.

A empresa, criada em dezembro de 2011, também é responsável pela gestão do Programa Nacional de Reestruturação dos Hospitais Universitários Federais (Rehuf), que contempla ações em todas as unidades existentes no país, incluindo as não filiadas à Ebserh.​

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.