‘Lula em casa seria um gesto de pacificação histórica’

Jornalista e colunista de O Globo Elio Gaspari argumenta que a soltura de Lula seria um bom negócio para Jair Bolsonaro:

“A transferência de Lula para o regime domiciliar, aventada em junho do ano passado pelo advogado Sepúlveda Pertence, foi rebarbada pelo PT. Supunha-se que Nosso Guia pudesse ser favorecido pela eleição de um presidente-companheiro ou pelo clamor da rua. Nenhuma das duas coisas aconteceu.

Para a turma de cabeça quente que defendia a transferência da embaixada do Brasil de Tel Aviv para Jerusalém, o gambito de Bolsonaro oferecendo um escritório comercial foi um gesto hábil. Lula em casa seria um gesto de pacificação histórica. Afinal, no ano passado 45% dos eleitores, não podendo votar nele, votaram no seu candidato.”

A soltura do chefe da ORCRIM provocaria o descrédito do governo e da Lava Jato, além de uma batalha nas ruas.
O gambito de Bolsonaro é manter Lula no xadrez.

1 thought on “‘Lula em casa seria um gesto de pacificação histórica’

  1. Comentário contraditório. Ora diz que seria um gesto de pacificação histórico, ora diz que poria em descrédito o governo, a Lava Jato além de acirrar os ânimos nas ruas…

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.