10 fotogramas sobre a vida da gente

Nos demos o trabalho de fotografar a sequência de uma cena do Chaplin. Ela me parece genial porque contém um significado maior na forma simples, pura na expressão.

Uma metáfora sintética e de fácil apreensão por qualquer pessoa, em qualquer lugar do mundo.

A vida nem sempre corresponde às nossas ilusões.

Quando a gente tem ilusões, e a gente sempre tem, os riscos dos choques contra a realidade são esquecidos.

Em grande parte o homem vive de enganos.

Numa hora pode dar certo, pode haver correspondência.

Quando não há correspondência, sempre podemos rir um pouco das nossas pretensões, porque, plasticamente, elas são belas, no mínimo divertidas.

Somos tristes e engraçados ao mesmo tempo.

 

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.