Paula propõe mudar nome do Salão Nobre da Prefeitura porque ele ‘remete à elite superada’

A prefeitura criou um concurso para que a população dê um nome ao salão Nobre da prefeitura.

Os pelotenses terão três meses para votar e escolher.

Prefeita Paula explicou a iniciativa:

“A sugestão de nomear o principal salão do Paço Municipal partiu do próprio Schlee, que era um crítico da atual designação, por não mais representar a realidade do município – opinião da qual compartilho. É algo que nos remete às origens da elite pelotense; aspecto que integra a nossa história, mas que já foi superado. Queremos e trabalhamos para que Pelotas seja uma cidade de todos”.

Paula acrescentou:

“Por acreditar que a mudança não deve ser decidida por mim, optamos por lançar um chamamento público, dividindo com a comunidade a incumbência de dar uma identidade ao local, responsável por sediar audiências públicas, anúncios e reuniões que decidem o futuro do município. É forma que encontramos de homenagear a pessoa fantástica que o Schlee foi; o amigo, artista e escritor que nasceu em Jaguarão, mas que fez inúmeras histórias na nossa Pelotas”, afirmou Paula.

Paula no Salão Nobre

A prefeitura informa ainda:

A população terá até o dia 1º de julho – início da semana de aniversário da cidade – para votar, quantas vezes quiser, em uma das três opções da enquete, disponibilizada no site http://www.pelotas.com.br/votacao.

O vencedor será anunciado neste período.

Confira abaixo as três opções de nomes:

  1. João Simões Lopes Neto: foi um escritor pelotense considerado o maior autor regionalista do Rio Grande do Sul. Entre suas obras, estão ‘Contos Gauchescos’, onde dá vida a Blau Nunes, ‘Lendas do Sul’, e ‘Casos de Romualdo’.
  2. Blau Nunes: principal personagem e narrador de Contos Gauchescos, obra de João Simões Lopes Neto, que reúne 19 histórias. O vaqueano, que tem apenas um cavalo e tem habilidades campeiras e guerreiras, conta alguns causos que vivenciou, outros que viu, e alguns que ouviu falar. A temática dos contos é a vida no pampa gaúcho.
  3. Salão Nobre: opção destinada a quem deseja manter este nome.

Voz do leitor: ‘Pronto, não tem mais o que fazer a prefeita?’

5 thoughts on “Paula propõe mudar nome do Salão Nobre da Prefeitura porque ele ‘remete à elite superada’

  1. Salão nobre
    Tratemos de honorificência- Aquilo que constitui honra ou distinção, nobreza
    Em larga e duradoura tradição, no Brasil e em outros países, usa-se denominar locais que recebem em seu meio a estirpe do melhor ser como ser humano, de melhor falar, do melhor representante das letras, das ciências, das artes, das melhores idéias, como lugar nobre. É uma sala ou um auditório que ganha foros de nobreza quando recebe ou rende homenagem à nobreza de espírito, à nobreza de caráter. Torna-se salão nobre o salão que reúne pessoas onde há reverencia ao elogiável, ou a melhor sala para tratar de assuntos importantes na entidade.
    A distinção, a importância reverenciada, são elementos consagradores de nobreza. Por isso, nunca pareceu tão razoável o que diz respeito às coisas sagradas, chamar de salão nobre aquela sala que reúne dignatários de nobreza nas artes, na literatura, na ciência… É imperativo não confundir o ser nobre por pertencer a uma classe de nobreza monárquica com aquele que é nobre pelas suas virtudes. Entendemos que o que se fala em nossos dias, é da nobreza de caráter, nada mais, porque não estamos vivendo num mundo de nobres da hierarquia de algum reinado. É necessário que não haja esta confusão a fim de que aceitemos a segura e acertada denominação de salão nobre.
    Confirmando nossas palavras:
    O ser nobre não é nobre só porque pertence à nobreza, que tem títulos nobiliárquicos, que é de descendência ilustre. É o que tem honorabilidade, digno de receber honrarias ou tem respeitabilidade honorífica. É também (segundo dicionário Holanda), é o majestoso, o suntuoso, que revela grandeza de caráter, elevação moral. Por isso se diz ação nobre, sentimentos nobres, ilustre, magno, fidalgo, elevado, sublime, é pessoa nobre. Nobilíssimo. Ter nobreza de caráter. Honra e virtude. Eis o verdadeiro nobre. E é a esse nobre dirigido o direito de nobreza.
    O que nobilita, que dá foros ou privilégios de nobreza é o caráter bem formado. Estas reflexões mostram que seria ridículo pensar que uma pessoa, ao ser julgada possuidora de nobreza de caráter, vai agora passar a ser um nobre de qualquer corte. E pensar que ao chamar de um salão nobre – onde se reúnem pessoas de caráter, que reverenciam o ser humano com grandeza de caráter vai agora transformar-se num lugar de reis e rainhas. Ridículo pensar assim. Acreditamos que ninguém chegou a esse absurdo. Entretanto, retirar o chamamento de salão nobre dado à sala em que se reúnem pessoas para enaltecer outras pessoas de caráter e sentimentos altruísticos, valores culturais, só a expressão –salão nobre – encaixa na homenagem que se quer atingir ao local em valorização ao que se realiza alí e às pessoas presentes.
    Parece que a ideologia adversa está trabalhando para que as coisas vãs se nivelem, numa interpretação má sobre a ideologia da igualdade. Cria-se confusão na cabeça das pessoas com coisas inexpressivas. A política está influenciando nosso linguajar e nossas atitudes. Não se deve subjugar almas bem intencionadas. Deixe-se pensar e discernir “ Quando todos pensam da mesma forma, é porque ninguém está pensando”.
    “Só tem foros de nobreza aquele que sabe ter honra e virtude”. Nesta máxima se resume o que tem elevação moral como sinal de nobreza. O chamado “sangue azul”, subjetivo, falso, imaginário e lendário, não dá foros de nobreza a ninguém, mesmo que existisse. Mas não existe, é mais um delírio da fantasia e do orgulho.
    Não vamos adjudicar numa causa de relevância pública, mas uma coisa é certa: a expressão não deve estar subjugada a tendências sociais, de riqueza ou pobreza, de visão política ou religiosa; deve, sim, ater-se em questões de interpretação puramente justa em relação ao pomo da questão: Salão nobre significa lugar onde são admirados os valores morais e intelectuais, onde se discute e onde são aprovados falas reivindicatórias justas.. Dentro de um espaço que recebe pessoas de classe, onde se prestigia talento, esforço e realizações dignas, é um local nobre. Daí dizer-se salão nobre aos locais destinados às coisas belas do espírito: a arte, a benemerência, a ciência…
    Que permaneça a designação: salão nobre dada ao salão de reuniões da Prefeitura Municipal de Pelotas. Adequado, acertado, justo. Que permaneça Salão Nobre-
    Este é o meu voto.
    Zênia de León

  2. Por que não SALÃO POBRE DA PREFEITURA? Traduziria melhor a pobreza de espírito de quem lembrou trocar um nome correto, acertado, usado amplamente em todo o mundo para designar as atribuções do local?

  3. Que falta do que fazer e de conhecimento… Como se a palavra nobre significasse apenas nobreza, e não bom, generoso, digno, louvável, que tem boas qualidades.

Deixe uma resposta para Mario Cancelar resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.