Connect with us
https://www.mvpthemes.com/zoxnews/wp-content/uploads/2017/07/zox-leader.png

No category

Paula propõe mudar nome do Salão Nobre da Prefeitura porque ele ‘remete à elite superada’

Publicado

on

A prefeitura criou um concurso para que a população dê um nome ao salão Nobre da prefeitura.

Os pelotenses terão três meses para votar e escolher.

Prefeita Paula explicou a iniciativa:

“A sugestão de nomear o principal salão do Paço Municipal partiu do próprio Schlee, que era um crítico da atual designação, por não mais representar a realidade do município – opinião da qual compartilho. É algo que nos remete às origens da elite pelotense; aspecto que integra a nossa história, mas que já foi superado. Queremos e trabalhamos para que Pelotas seja uma cidade de todos”.

Paula acrescentou:

“Por acreditar que a mudança não deve ser decidida por mim, optamos por lançar um chamamento público, dividindo com a comunidade a incumbência de dar uma identidade ao local, responsável por sediar audiências públicas, anúncios e reuniões que decidem o futuro do município. É forma que encontramos de homenagear a pessoa fantástica que o Schlee foi; o amigo, artista e escritor que nasceu em Jaguarão, mas que fez inúmeras histórias na nossa Pelotas”, afirmou Paula.

Paula no Salão Nobre

A prefeitura informa ainda:

A população terá até o dia 1º de julho – início da semana de aniversário da cidade – para votar, quantas vezes quiser, em uma das três opções da enquete, disponibilizada no site http://www.pelotas.com.br/votacao.

O vencedor será anunciado neste período.

Confira abaixo as três opções de nomes:

  1. João Simões Lopes Neto: foi um escritor pelotense considerado o maior autor regionalista do Rio Grande do Sul. Entre suas obras, estão ‘Contos Gauchescos’, onde dá vida a Blau Nunes, ‘Lendas do Sul’, e ‘Casos de Romualdo’.
  2. Blau Nunes: principal personagem e narrador de Contos Gauchescos, obra de João Simões Lopes Neto, que reúne 19 histórias. O vaqueano, que tem apenas um cavalo e tem habilidades campeiras e guerreiras, conta alguns causos que vivenciou, outros que viu, e alguns que ouviu falar. A temática dos contos é a vida no pampa gaúcho.
  3. Salão Nobre: opção destinada a quem deseja manter este nome.

Voz do leitor: ‘Pronto, não tem mais o que fazer a prefeita?’

5 Comments

5 Comments

  1. Zenia de León

    12/04/19 at 21:04

    Salão nobre
    Tratemos de honorificência- Aquilo que constitui honra ou distinção, nobreza
    Em larga e duradoura tradição, no Brasil e em outros países, usa-se denominar locais que recebem em seu meio a estirpe do melhor ser como ser humano, de melhor falar, do melhor representante das letras, das ciências, das artes, das melhores idéias, como lugar nobre. É uma sala ou um auditório que ganha foros de nobreza quando recebe ou rende homenagem à nobreza de espírito, à nobreza de caráter. Torna-se salão nobre o salão que reúne pessoas onde há reverencia ao elogiável, ou a melhor sala para tratar de assuntos importantes na entidade.
    A distinção, a importância reverenciada, são elementos consagradores de nobreza. Por isso, nunca pareceu tão razoável o que diz respeito às coisas sagradas, chamar de salão nobre aquela sala que reúne dignatários de nobreza nas artes, na literatura, na ciência… É imperativo não confundir o ser nobre por pertencer a uma classe de nobreza monárquica com aquele que é nobre pelas suas virtudes. Entendemos que o que se fala em nossos dias, é da nobreza de caráter, nada mais, porque não estamos vivendo num mundo de nobres da hierarquia de algum reinado. É necessário que não haja esta confusão a fim de que aceitemos a segura e acertada denominação de salão nobre.
    Confirmando nossas palavras:
    O ser nobre não é nobre só porque pertence à nobreza, que tem títulos nobiliárquicos, que é de descendência ilustre. É o que tem honorabilidade, digno de receber honrarias ou tem respeitabilidade honorífica. É também (segundo dicionário Holanda), é o majestoso, o suntuoso, que revela grandeza de caráter, elevação moral. Por isso se diz ação nobre, sentimentos nobres, ilustre, magno, fidalgo, elevado, sublime, é pessoa nobre. Nobilíssimo. Ter nobreza de caráter. Honra e virtude. Eis o verdadeiro nobre. E é a esse nobre dirigido o direito de nobreza.
    O que nobilita, que dá foros ou privilégios de nobreza é o caráter bem formado. Estas reflexões mostram que seria ridículo pensar que uma pessoa, ao ser julgada possuidora de nobreza de caráter, vai agora passar a ser um nobre de qualquer corte. E pensar que ao chamar de um salão nobre – onde se reúnem pessoas de caráter, que reverenciam o ser humano com grandeza de caráter vai agora transformar-se num lugar de reis e rainhas. Ridículo pensar assim. Acreditamos que ninguém chegou a esse absurdo. Entretanto, retirar o chamamento de salão nobre dado à sala em que se reúnem pessoas para enaltecer outras pessoas de caráter e sentimentos altruísticos, valores culturais, só a expressão –salão nobre – encaixa na homenagem que se quer atingir ao local em valorização ao que se realiza alí e às pessoas presentes.
    Parece que a ideologia adversa está trabalhando para que as coisas vãs se nivelem, numa interpretação má sobre a ideologia da igualdade. Cria-se confusão na cabeça das pessoas com coisas inexpressivas. A política está influenciando nosso linguajar e nossas atitudes. Não se deve subjugar almas bem intencionadas. Deixe-se pensar e discernir “ Quando todos pensam da mesma forma, é porque ninguém está pensando”.
    “Só tem foros de nobreza aquele que sabe ter honra e virtude”. Nesta máxima se resume o que tem elevação moral como sinal de nobreza. O chamado “sangue azul”, subjetivo, falso, imaginário e lendário, não dá foros de nobreza a ninguém, mesmo que existisse. Mas não existe, é mais um delírio da fantasia e do orgulho.
    Não vamos adjudicar numa causa de relevância pública, mas uma coisa é certa: a expressão não deve estar subjugada a tendências sociais, de riqueza ou pobreza, de visão política ou religiosa; deve, sim, ater-se em questões de interpretação puramente justa em relação ao pomo da questão: Salão nobre significa lugar onde são admirados os valores morais e intelectuais, onde se discute e onde são aprovados falas reivindicatórias justas.. Dentro de um espaço que recebe pessoas de classe, onde se prestigia talento, esforço e realizações dignas, é um local nobre. Daí dizer-se salão nobre aos locais destinados às coisas belas do espírito: a arte, a benemerência, a ciência…
    Que permaneça a designação: salão nobre dada ao salão de reuniões da Prefeitura Municipal de Pelotas. Adequado, acertado, justo. Que permaneça Salão Nobre-
    Este é o meu voto.
    Zênia de León

  2. Zênia de León

    12/04/19 at 21:03

    Por que não SALÃO POBRE DA PREFEITURA? Traduziria melhor a pobreza de espírito de quem lembrou trocar um nome correto, acertado, usado amplamente em todo o mundo para designar as atribuções do local?

  3. Fortino Reyes

    09/04/19 at 19:10

    Como ela perde tempo com bobagens.

  4. Mario

    09/04/19 at 18:25

    Querem tirar o “nobre” para colocar um “sobrenome pelotense nobre”.

  5. Bia

    09/04/19 at 18:06

    Que falta do que fazer e de conhecimento… Como se a palavra nobre significasse apenas nobreza, e não bom, generoso, digno, louvável, que tem boas qualidades.

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.

No category

Pelotas em bandeira vermelha

Publicado

on


Divulgada nesta sexta-feira (19), a classificação preliminar da 42ª rodada do modelo de Distanciamento Controlado do governo estadual. De acordo com essa avaliação, Pelotas retorna a bandeira vermelha, depois de permanecer por quatro semanas consecutivas em laranja.

Mudança foi ocasionada, principalmente, pelo aumento no número de internações por síndrome gripal na região R21, da qual a cidade é o maior município.

Em virtude da classificação, o Município deve editar novo decreto na próxima semana, com medidas mais restritivas para controle da pandemia na cidade.

A região da Bagé, que integra a macrorregião com Pelotas, também foi classificada em bandeira vermelha. A análise colocou ainda as regiões do litoral norte e serra gaúcha em bandeira preta, pela primeira vez, desde que o modelo começou a ser utilizado.

A classificação final das novas bandeiras passa a vigorar a partir de terça-feira (23), até o dia 1º de março.

Governo gaúcho suspende atividades

Em decorrência da gravidade do contágio por coronavírus verificado em todo o Rio Grande do Sul e o aumento de 20% de internações entre as duas últimas quintas-feiras, o governador Eduardo Leite anunciou, em transmissão de vídeo nesta sexta-feira, a edição de um novo decreto de suspensão geral das atividades, que irá valer a partir das 22h deste sábado (20) até às 5h de domingo (21).

Continue Reading

No category

Com 193,2 mil novas doses, RS iniciará imunização contra Covid-19 de idosos com mais de 85 anos

Publicado

on

O Rio Grande do Sul deve receber, neste final de semana, 193,2 mil novas doses da CoronaVac. Com esta quarta remessa de vacinas contra a Covid-19 enviada pelo Ministério da Saúde (MS), o governo do Estado pretende iniciar a segunda fase de imunização, incluindo idosos acima de 85 anos, além de ampliar a vacinação dos profissionais da saúde. O anúncio foi feito pelo governador Eduardo Leite e pela secretária da Saúde, Arita Bergmann, em vídeo publicado nas redes sociais nesta sexta-feira (5/2).

“A nossa expectativa é de que, com essas doses, a gente possa fazer, ao longo dos próximos dias, a imunização de 43% da população acima dos 85 anos aqui no Rio Grande do Sul. Além disso, tendo em vista que uma parte maior dos idosos está vivendo no litoral, em função até do isolamento, estamos garantindo o repasse considerando essa realidade do nosso Estado”, destacou o governador.

Todas as 193,2 mil doses serão repassadas, sem reserva pelo Estado. Do total previsto, aproximadamente 147 mil destinam-se aos idosos, montante suficiente para atingir cerca de 43% população com mais de 85 anos. As outras cerca de 46,2 mil doses servirão para alcançar em torno de 78% dos profissionais que trabalham em unidades de saúde no Estado.

O Ministério da Saúde ainda não informou a previsão de data e horário de envio das vacinas para os Estados. Assim que chegarem ao solo gaúcho, a Secretaria da Saúde (SES) distribuirá para as Coordenadorias Regionais de Saúde (CRSs), que repassarão aos municípios. Os quantitativos por região e cidade ainda estão sendo calculados.

“Os municípios têm papel importante de organização da campanha no seu território. Estamos distribuindo as doses tão logo elas cheguem. É de suma importância que o município faça o planejamento, porque, além dos idosos acamados que já receberam as doses, estamos agora ampliando para uma população que precisamos proteger”, afirmou a secretária da Saúde, Arita Bergmann.

A recomendação da SES é para que seja feito um pré-cadastro da população-alvo e, se possível, com agendamento prévio, de forma a evitar aglomeração nos locais de vacinação e também desperdício, já que cada frasco-ampola da CoronaVac contém dez doses que devem ser aplicadas de forma sequencial e imediata. Além disso, a pasta reforça a necessidade de cadastrar cada dose aplicada no Sistema de Informação do Programa Nacional de Imunizações (SI-PNI) e no formulário de controle do Estado.

“Confiamos nas equipes dos vacinadores dos municípios e temos certeza de que a decisão de começar a vacinação dos idosos foi acertada por parte do governo junto com o Conselho das Secretarias Municipais de Saúde do Rio Grande do Sul, conforme pactuado em reunião ontem (4/2)”, acrescentou Arita.

Cabem às prefeituras organizar a aplicação das doses e divulgar aos moradores como ocorrerá o processo em cada município, seja de forma presencial nas unidades de saúde, por drive-thru ou outro formato.

“É importante que todos estejam atentos à forma como o seu município se organiza para garantir a imunização dos idosos das suas famílias, e os municípios devem estar comprometidos a organizarem para que essa vacina chegue às pessoas que estão nessa faixa etária, mais de 85 anos, de forma adequada, sem gerar situações de aglomeração”, reforçou o governador.

Com as 511,2 mil doses já recebidas, o Estado vacinou até agora quase 215 mil pessoas com ao menos a primeira dose. São 174,4 mil profissionais da saúde, 32,4 moradores de instituições de longa permanência para idosos (ILPIs), 7,7 mil indígenas e 1,3 mil pessoas portadoras de deficiência institucionalizadas.

Painel de vacinas

A logística será a mesma utilizada nas outras duas distribuições, com apoio aéreo e terrestre. Esta é a quarta remessa de vacinas recebidas pelo Estado. O primeiro lote, com 341,8 mil vacinas CoronaVac, chegou em 18 de janeiro. Outras 116 mil vacinas da Oxford/AstraZeneca foram recebidas em 24 de janeiro, e a terceira remessa, 224,2 mil doses da CoronaVac, no dia 1º de fevereiro.

Com as 511,2 mil doses já recebidas, o Estado vacinou até agora quase 215 mil pessoas com ao menos a primeira dose. São 174,4 mil profissionais da saúde, 32,4 mil moradores de Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPIs), 7,7 mil indígenas e 1,3 mil pessoas portadoras de deficiência institucionalizadas.

Acompanhe a atualização diária de vacinas recebidas, distribuídas e aplicadas no RS em vacina.saude.rs.gov.br

Reunião com a Embaixada da China

Antes do anúncio da chegada de novas doses, o governador e a secretária Arita participaram de uma reunião com governadores de todo o país com a Embaixada da China no Brasil, com objetivo de articular a produção e a entrega de vacinas para que os Estados possam se planejar e criar um cronograma de imunização.

A mobilização visa agilizar o processo de importação do ingrediente farmacêutico ativo (IFA), princípio necessário tanto para produção da CoronaVac, produzida no Brasil pelo Instituto Butantan em parceria com o laboratório chinês Sinovac, e para a vacina da Universidade de Oxford com o laboratório inglês AstraZeneca, que será fabricada no país pela Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

“Temos aqui no Rio Grande do Sul o mais alto respeito e admiração pela República Popular da China, pela sua força de transformação e inovação, e estamos muito satisfeitos em ver que a parceria na questão sanitária com o Butantan, ligado ao governo de São Paulo, é uma demonstração dessa boa relação entre os países. Queremos reforçar esses laços com o comum interesse benéfico aos nossos povos. O Rio Grande do Sul está à disposição para ajudar a enfrentar qualquer percalço, por isso, contem conosco para superarmos esse quadro de pandemia”, afirmou Leite.

Continue Reading

No category

Confira os gabaritos das provas do primeiro dia do Enem

Publicado

on

O Ministério da Educação (MEC) divulgou há pouco o gabarito oficial Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2020. Confira o gabarito das provas de linguagens e ciências humanas, realizadas no primeiro dia do exame (17). Os gabaritos das provas do segundo dia podem ser acessados aqui.

A abstenção no primeiro dia foi de 51,5% dos candidatos inscritos, segundo o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep). Do total de 5.523.029 inscritos para a versão impressa do Enem, 2.842.332 faltaram às provas.

Ao todo, cerca de 2,5 milhões de candidatos fizeram as provas este ano, número que representa menos da metade dos participantes inscritos nas provas.

Mesmo com os gabaritos em mãos, não é possível saber a nota no exame. Isso porque o Enem é corrigido com base na chamada teoria de resposta ao item (TRI), que leva em consideração, entre outros fatores, a coerência de cada estudante na própria prova.

Prova amarela – primeiro dia

Prova azul – primeiro dia

Prova branca – primeiro dia

Prova rosa – primeiro dia

Confira os gabaritos do primeiro dia: 

Confira aqui o gabarito da prova rosa (ampliada) – Aplicação Regular

Confira aqui o gabarito da prova rosa (superampliada) – Aplicação regular

Confira aqui o gabarito da prova laranja (braile e ledor) – Aplicação regular

Confira aqui o gabarito da prova verde (libras) – Aplicação regular

Continue Reading

Em alta