Vacinação contra gripe começa nesta quarta (10) em Pelotas

A partir desta quarta-feira (10), começa em Pelotas a campanha de imunização contra a gripe para gestantes e crianças entre 1 e 6 anos. A escolha do público-alvo segue orientação do Ministério da Saúde e leva em conta uma maior vulnerabilidade do grupo.

No dia 22 de abril, pessoas com mais de 60 anos, doentes crônicos, trabalhadores da saúde, puérperas, professores e demais usuários incluídos no universo de vacinação podem receber a dose nas Unidades Básicas de Saúde (UBSs) da cidade ou no Centro de Especialidades.

A campanha vai até o dia 31 de maio.

Todos os anos, a composição dos imunizantes é atualizada devido as mutações constantes do vírus influenza e nos subtipos com maior probabilidade de circular pelo País nos próximos meses. A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) já informou que, esse ano, a vacina trivalente ofertada pelo Sistema Único de Saúde (SUS) para grupos específicos protegerá contra os vírus H1N1, o H3N2 e o influenza do tipo B Victoria.

A dose deste ano foi feita com subtipos diferentes nas cepas H3N2 e B, por isso deve ser repetida mesmo por quem já se protegeu na temporada passada. A vacina é produzida com vírus mortos, sem risco de causar infecção. A imunização leva em torno de 15 dias para gerar proteção ao organismo, razão da importância de vacinar-se no período da campanha, antes da chegada do inverno, época do ano de maior circulação da doença.

Público-alvo

Em Pelotas, mais de 119,2 mil pessoas devem ser imunizadas contra a gripe, sem contar a população carcerária e os trabalhadores do sistema prisional. A meta é atingir 95% desse universo.

Confira:

Crianças de 6 meses a menor de 2 anos – 6.389
Crianças de 2 a 4 anos – 10.963
Crianças de 5 anos – 3.789
Trabalhadores da Saúde – 18.920
Gestantes – 3.194
Puérperas – 525
Indígenas – 72
Idosos – 49.940
Comorbidades – 29.254
Professores – 2.560

Sintomas e prevenção

Indivíduos que apresentem sintomas de gripe devem evitar sair de casa durante o período de transmissão da doença (até sete dias após o início dos sintomas); restringir o ambiente de trabalho para evitar disseminação; evitar aglomerações e ambientes fechados, procurando manter os ambientes ventilados; e adotar hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e ingestão de líquidos.

Com a meta de prevenir a doença, a Secretaria de Saúde recomenda medidas gerais de proteção, como a constante lavagem das mãos, principalmente antes de consumir algum alimento, e a adoção da etiqueta respiratória, que consiste em espirrar na parte de dentro dos cotovelos e cobrir a boca ao tossir, visando à redução do risco de infecção pelo vírus.

Outra dica importante é não compartilhar objetos de uso pessoal, entre eles talheres, pratos, copos ou garrafas. É importante ficar alerta a sinais e sintomas de gravidade para, nesses casos, buscar imediatamente avaliação em uma unidade de saúde.

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.