Pelotas estuda adotar modelo de educação aplicado pelo Sesi

Prefeitura informa:

A prefeita Paula Mascarenhas recebeu nessa quinta-feira (11) representantes do Serviço Social da Indústria (Sesi), da Federação das Indústrias do Estado do Rio Grande do Sul (Fiergs) e do Centro das Indústrias de Pelotas (Cipel), para discutir a adoção por parte do Município do modelo de educação implantado pelo Sesi na unidade educacional da entidade existente na cidade, a escola Eraldo Giacobbe.

Além da metodologia de ensino, focada no desenvolvimento e avaliação de habilidades e competências, a ideia é adaptar aos poucos as escolas municipais ao sistema integral de ensino, começando pelos anos iniciais da Escola Municipal de Ensino Fundamental (EMEF) Mário Meneghetti, localizada no Getúlio Vargas. “Seria um projeto-piloto que serviria de modelo para o futuro da rede”, disse a prefeita.

Segundo ela, Pelotas já tem mostrado muitos avanços na educação, como apontam os resultados mais recentes do Ideb, no entanto, é preciso buscar sempre o melhor. A gestora também mencionou as ações voltadas à diminuição da disparidade idade/ano, os planos de prevenção à violência escolar, as formações continuadas com os professores e os processos da avaliação municipal, que buscam identificar as fragilidades do ensino e dar subsídios às escolas para que o qualifique.

Para a gerente da área de Educação do Sesi, Sônia Elizabeth Bier, o sucesso do sistema Sesi de ensino parte do princípio de que é muito importante conhecer o contexto dos alunos e oferecer atividades adequadas.

“Isso faz com que os jovens tenham um sentimento de pertencimento à escola, que ele sinta que a escola é dele, contribuindo muito para sua aprendizagem”, disse Sônia.

Capacitação

Caso a proposta do Sesi seja aceita, cerca de 150 professores da rede municipal serão capacitados pela equipe educacional da Instituição, o que inclui os 63 profissionais da Mário Meneghetti. “Todos receberam muito bem a ideia. Tanto os pais, quanto os professores estão dispostos a assumir esse desafio e trabalhar para oferecer uma educação de qualidade às crianças”, garantiu a diretora do educandário, Bianca Aires da Silva.

Custos

No fim da reunião, a prefeita pediu que o Sesi apresentasse em breve os custos para realização da capacitação dos professores para que a Prefeitura, através da Secretaria de Educação e Desporto (Smed), possa avaliar a viabilidade do projeto.

“Precisamos saber se o recurso vai sair do orçamento da Secretaria ou se vamos buscar em outra fonte. Ficamos encantados com o modelo implantado pelo Sesi, até pelos ótimos resultados que ele vem obtendo”, ponderou Paula.
Também participaram da reunião, o secretário da Smed, Arthur Correa; a diretora de Ensino, Loreni Peverada; e o diretor administrativo, Roger Lemões; a chefe de setor Loiva Radtke, além dos representantes das demais entidades.

Obrigado por participar. Comentários podem ter a redação moderada.