Paula: ‘Não entendo por que preocupação com projeto não ocorreu na Câmara’

O presidente do Sindicato Médico do Rio Grande do Sul (Simers), Marcelo Matias, e o representante do Conselho Regional de Medicina (Cremers), Filipe de Capri, pediram à prefeita Paula que vete o projeto de lei que cria no município medidas de proteção contra a violência obstétrica e divulgação de boas práticas para a atenção à gravidez, parto, nascimento e abordamento.

A proposta de autoria dos vereadores Reinaldo Elias (PTB) e Fernanda Miranda (PSOL) foi aprovada por unanimidade na Câmara Municipal, no dia 2 de abril.

“Diante dos apontamentos técnicos feitos pelo grupo nesta quinta, proponho que seja feito o debate do assunto com a sociedade para que possamos escolher o melhor caminho, dando prioridade à qualidade do serviço de saúde e à segurança das gestantes e mulheres de Pelotas”, afirmou a prefeita.

Paula deverá aprovar lei contra ‘violência obstétrica’

Ela disse que pretende tb ouvir a posição do ‘Nascer Sorrindo’ – grupo que apoia a sanção do projeto –, bem como da Comissão de Saúde da Câmara Municipal.

A prefeita explica que não entende por que a preocupação com o projeto não ocorreu durante a sua tramitação no Poder Legislativo, local próprio para o debate.

“Tenho ainda 11 dias úteis para tomar a decisão. Neste período faremos a discussão pública sobre o projeto para que estejamos todos cientes do que pode ocorrer e do que é melhor para as gestantes da cidade e para a segurança das mulheres”.

11.04.2019 – Prefeita Paula Mascarenhas em reunião com o Simers – Foto Michel Corvello

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.