Paula se emociona: ‘Talvez nada do que faça se compare à tarifa de ônibus mais justa Colônia’

A prefeita Paula Mascarenhas se emocionou nesta semana ao falar da unificação da tarifa de ônibus, que permitirá reduzir o valor da passagem para moradores da área rural, onde a dimunição no valor chegará, no percurso mais longo, a R$ 14,70 (veja abaixo).

“Talvez nada do que eu venha a fazer no governo, e ainda tem muita coisa boa pela frente, possa se comparar a esta transformação que vamos proporcionar na vida das pessoas que moram e trabalham na Colônia, com o preço justo da tarifa”, afirmou.

***

Quem usa ônibus no 4º distrito vai economizar R$ 14,70 a partir do dia 1º de maio

Casados há 43 anos, Balduíno e Aldina Strelow Treptow providenciaram seus cadastros no novo sistema na quarta-feira (10), quando o atendimento da concessionária foi presencial na Escola Wilson Müller.

O casal é morador no 4º distrito, onde planta legumes e hortaliças para consumo da própria família e fumo para o sustento. Os dois filhos trabalham na lavoura e a filha, casada, reside na cidade.

“Tenho 63 anos e não acreditava que a situação do transporte fosse mudar. Minha filha mora na cidade e, muitas vezes, só meu marido pode ir vê-la, porque ele tem mais de 65 anos e anda de ônibus sem pagar. Ele vai, a saudade dela fica comigo”, disse dona Aldina.

Para ela, a tarifa a R$ 3,70 envolverá até o lado emocional dos moradores da colônia.

“Quantas vezes eu quis ir à cidade e não pude! O dinheiro é escasso, as despesas são muitas, inclusive com remédios, além da conta mensal de energia elétrica, que também é alta. Entre sair e cumprir com as prioridades, não há escolha. Então, a gente se priva da convivência mais frequente com a filha, do passeio no centro e até mesmo de algum compromisso”.

Balduíno e Aldina

1 thought on “Paula se emociona: ‘Talvez nada do que faça se compare à tarifa de ônibus mais justa Colônia’

  1. Para conseguir essa unificação de tarifa ela teve que vender sua alma ao diabo. Transformou a colônia Z3 em zona urbana, ou seja o consórcio que explora o transporte coletivo na cidade anexou mais essa linha mesmo sem concorrência pública e usou os usuários da faixa de 60 a 65 anos, que gozavam de gratuidade por força de lei municipal, como moeda de troca com os empresários para conseguir essa redução de tarifa nas linhas da colônia.

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.