Previdência e parasitismo

Paulinho, da Força: parasitismo
O deputado esquerdista Paulinho da Força revelou que “o Centrão discute reforma desidratada que não reeleja Bolsonaro”. Não integrante, mas aliado do Centrão, ele não teve pudor de contar que “trabalha para ganhar tempo” na tramitação da reforma. E acrescentou: “Quanto mais tempo a gente ganhar, mais gente fica contra.”
Bolsonaro manifestou a expectativa de uma economia de R$ 800 bilhões com a reforma aprovada. E Paulinho calculou: “Nos últimos três anos de mandato [com esse montante] ele teria R$ 240 bilhões para gastar, ou seja, garantiu a reeleição.”
Quer dizer, sem se importar com o futuro do Brasil e desdenhando o sacrifício do povo, uns quantos estão tentando prolongar a crise para
derrotar o governo.
Existe necessidade de uma reforma da previdência? É claro que sim! Que reforma? Não sei. É questão inclusive de cálculo atuarial, coisa que
poucos dominam. Mas o óbvio e inconteste é que o fato simples de o Brasil estar ficando mais velho (haverá mais idosos que jovens dentro de alguns anos) já é motivo inarredável para a previdência ser reformada.
Alegam que a previdência é deficitária porque seus recursos foram desviados para fins que não têm nada a ver com o sistema. Pode ser: até
para construir Brasília, tiraram dinheiro da previdência! E daí? Seria um bom negócio vender a obra de Oscar Niemeyer e devolver o arrecadado à previdência. Mas quem vai querer comprar? É melhor pensar como adultos!
Só que, para debater a reforma da previdência e pensar o que fazer daqui para frente, há poucos. Já atuando de má-fé há muitos: estes pretendem não impedir, mas fazer que seja uma reforma ruim. Eles adulam o povo, falam aquilo que uma infantilizada parcela da população deseja ouvir, enquanto, em surdina, se empenham em “desidratar” a reforma.
É uma aliança de parasitas, que tem, por um lado, a esquerda bolivariana, que busca o poder a qualquer custo, e, por outro, a turma
do “meu pirão primeiro”, que faz qualquer negócio para seguir sugando a seiva da nação. As duas facções são regidas pelo egoísmo. As duas perdem com o sucesso da reforma. E, para impedi-lo, fazem qualquer conchavo.

Renato Sant’Anna é psicólogo e advogado. Trabalha com vítimas de violência.

E-mail do autor: sentinela.rs@uol.com.br

1 thought on “Previdência e parasitismo

  1. Paulinho da Força esquerdista? Ah, conta outra.
    Pensando bem, para quem está na extrema direita, todos estão à esquerda…

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.