Uma gotinha de bom senso sobre a tal compra do prédio da Câmara

Um promotor que tiver uma gotinha que seja de bom senso, pingando na medida certa, observando os fatos e os personagens, vai se debruçar com atenção sobre a compra do prédio da Câmara de Vereadores, transação anunciada pelo vereador Fabrício Tavares, atual presidente da Casa, nesta quinta (3), para se concretizar ali adiante.

O negócio imobiliário, de R$ 4,5 milhões, se deu sem transparência, certamente não em benefício primeiro do Interesse Público.

Fosse considerado em primeiro lugar o Interesse Público, teriam decidido reformar o prédio da antiga Secretaria de Fazenda, em diagonal à prefeitura, imóvel histórico abandonado, para o qual já existe há 10 anos um projeto de adequação para receber Suas Excelências.

Além de resgatar um prédio do patrimônio, uma reforma certamente sairia por valor menor do que R$ 4,5 milhões.

Falemos mais sério ainda. Inclusive pelo trabalho que apresenta, a Câmara deveria ocupar uma sala emprestada da prefeitura, como na Suécia. Isso, sim, seria exemplar, no rumo do Interesse Público.

Na Suécia, vereador não tem salário nem gabinete: trabalham de casa

1 thought on “Uma gotinha de bom senso sobre a tal compra do prédio da Câmara

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.