Olavo de Carvalho, sórdido e infeliz

A senadora Mara Gabrilli (PSDB) comentou no Twitter o nojento comentário que Olavo de Carvalho fez sobre o general Villas Bôas (veja no pé).

“Estar em uma cadeira de rodas não é uma prisão. Ao contrário, a cadeira é o que garante o ir e vir. Sinônimo de liberdade para quem é bem resolvido consigo mesmo, como o general Villas Bôas, exemplo de grandeza, lucidez e produtividade.”

E mais:

“É lamentável que num país onde há grandes exemplos de pessoas com deficiência, ainda escutemos falas nocivas que ferem a dignidade humana. Quem usa a condição física de uma pessoa para atacá-la vive num cárcere mental, que ao contrário da cadeira de rodas, limita e desconstrói.”

Olavo é sórdido

Olavo abjeto

Ídolo da direita brasileira disse:

“Há coisas que nunca esperei ver, mas estou vendo. A pior delas foi altos oficiais militares, acossados por afirmações minhas que não conseguem contestar, irem buscar proteção escondendo-se por trás de um doente preso a uma cadeira de rodas. Nem o Lula seria capaz de tamanha baixeza.”

O general Villas Bôas é o maior líder militar do Brasil, não por ser “um doente preso a uma cadeira de rodas”, e sim por sua lucidez, por sua carreira e por sua capacidade de comando, que continuou a ser exercida apesar da cadeira de rodas.

 

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.