Connect with us

Brasil & Mundo

E os presídios, ministro Moro?

Publicado

on

Germano Rigotto

 A segurança é pauta prioritária do governo Bolsonaro – e esse foi um dos motivos que o fez ganhar a eleição. Nos primeiros meses de gestão, o ministro Sergio Moro apresentou um projeto anticrime com diversas medidas importantes. Entretanto, são inexistentes ou tímidas as iniciativas para criar um novo sistema prisional no país. E, paradoxalmente, é nesse ponto que está o maior gargalo.

No atual modelo, em curto prazo, o aumento da população carcerária torna ainda mais insustentável a situação das casas prisionais. Evidente que os bandidos devem continuar sendo presos, mas não se pode ignorar que estão sendo depositados numa escola de qualificação do crime. O ambiente agrava o potencial violento de pessoas que já chegam degradadas pelo vício em drogas, pela desordem familiar, pela pobreza ou pelo desconforto existencial – ou por tudo isso ao mesmo tempo. Um vulnerável encontra ali o lugar propício para ampliar suas mazelas.

A imprensa gaúcha abordou problemas que não ocorrem apenas no Rio Grande do Sul: presos em viaturas e em delegacias aguardando vagas, além da influência das facções dentro das cadeias. Criminosos primários são misturados aos de alta periculosidade. Portanto, faltam presídios, e os que existem estão colapsados. O sistema todo precisa ser alterado.

Isso passa, diretamente, pelo pesadíssimo investimento na construção de mais casas prisionais e pelo uso da tecnologia. Ou seja: projeto, verba, diminuição de burocracia e modernização. A iniciativa e o comando, tanto político como orçamentário, cabem ao governo federal, que precisa criar uma política consistente e rápida para esse enfrentamento. A propósito, há métodos construtivos eficientes, inclusive desenvolvidos aqui no Estado, que levantam presídios em menos de um ano.

Claro que precisamos mudar a legislação penal e de execução penal. A população pede leis mais duras contra a criminalidade. Mas, antes ou ao mesmo tempo, o sistema prisional precisa ser ampliado e reformulado. Bolsonaro e Moro estão legitimados para fazer isso acontecer. A pauta deve voltar para a fila de prioridades. Não pode ficar em segundo plano; é para ontem!

Publicidade

Germano Rigotto é ex-governador do Rio Grande do Sul, presidente do Instituto Reformar

Publicidade
Clique para comentar

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor.

Brasil & Mundo

Doria ironiza Grupo Eurasia, que dava vitória a Leite

Publicado

on

O governador de São Paulo, João Doria, foi às redes sociais ironizar o Grupo Eurasia, que divulgou análises dando vitória nas prévias do partido a Eduardo Leite.

 Eurasia é uma empresa de consultoria e pesquisa de risco político.

Continue Reading

Brasil & Mundo

VÍDEO: PF queima balsas usadas em garimpo ilegal no rio Madeira

Porções de ouro e mercúrio foram apreendidas

Publicado

on

Neste sábado (27), agentes da Polícia Federal, Ibama, Marinha e Aeronáutica queimaram 31 balsas usadas para garimpo ilegal no rio Madeira, em Nova Olinda do Norte.

As embarcações estavam abandonadas no rio, e apenas um homem foi encontrado e preso. Porções de ouro e mercúrio foram apreendidas.

Nas últimas semanas, centenas de balsas e dragas atracaram em um único ponto do rio Madeira, para exploração em massa de ouro. 

Os garimpeiros se dispersam do local na sexta-feira (26), mas alguns continuaram operando de forma ilegal.

Publicidade
Continue Reading

Brasil & Mundo

Covid-19: Brasil registra 229 óbitos e 9,2 mil novos casos

Governo já distribuiu mais de 306 milhões de doses de vacinas

Publicado

on

O boletim epidemiológico divulgado pelo Ministério da Saúde na noite de hoje (27) mostra que o Brasil registrou, em 24 horas, 229 novas mortes em decorrência de covid-19. Com isso, o país chegou a 614.186 mortes durante a pandemia.

O levantamento mostra que 9.233 novos casos da doença foram registrados no sistema de monitoramento da doença. No total, o país registrou até o momento 22.076.863 casos de infecção pelo novo coronavírus. O informativo também traz os dados sobre óbitos em decorrência de síndrome respiratória aguda grave (SRAG), que somam 119 casos e estão sob investigação de órgãos de saúde.

 país tem 174.396 casos ativos de covid-19 em monitoramento. O número diz respeito a casos diagnosticados que estão sob supervisão médica ou em isolamento.

O número de recuperados é de 21.288.281 casos, o que corresponde a 96,4% do total de infectados.

Estados

No topo do ranking de mortes por estado estão: São Paulo (153.993), Rio de Janeiro (69.011), Minas Gerais (56.143), Paraná (40.771) e Rio Grande do Sul (36.075).

Os estados que menos registraram mortes por covid-19 foram o Acre (1.846), o Amapá (2.002) e Roraima (2.050).

Vacinação

O painel de vacinação do Ministério da Saúde estava fora do ar no momento da apuração dos dados, e a última atualização que consta no vacinômetro do site do ministério registrava, até o dia 25 de novembro, 364.177.468 doses de vacinas distribuídas, com 306.982.366 doses aplicadas – número que compreende a primeira dose, a segunda dose e aplicações únicas.

O ministério registra, ainda, que o governo federal já investiu cerca de R$ 207,3 bilhões em vacinas.

Publicidade

Continue Reading



Publicidade
Publicidade

Mais lidas em três dias