Município busca implantar programa de prevenção à violência como política pública

Prefeita Paula | Foto: Gustavo Vara

Do site da prefeitura | Prevenir a violência é um dos objetivos que norteiam as ações do Pacto Pelotas pela Paz – 30 projetos são desenvolvidos buscando interromper o ciclo de criminalidade no município, sobretudo, atuando nos primeiros anos de vida.

Um deles, o Conte Comigo – metodologia da estratégia Infância Protegida que fortalece os vínculos familiares – beneficiou 124 famílias pelotenses no ano passado. A cidade é a primeira do Brasil a implantar o método socioemocional.

O desafio agora é torná-lo uma política pública municipal, afirmou a prefeita Paula Mascarenhas, durante uma reunião com servidores da rede, nesta terça-feira (18). O encontro organizado na Rodoviária teve a finalidade de sensibilizar novos profissionais da Saúde, Educação e Assistência Social a instrumentalizarem-se ao método, com vistas a ampliar a abrangência dos seus impactos positivos em diferentes espaços.

Paula ressaltou a importância de subsidiar o trabalho de combate à violência em evidências científicas que, neste caso, indicam a correlação entre ter uma infância segura e manter-se distante da criminalidade na vida adulta.

“Uma criança que recebe pouco afeto, sofre e presencia violência dentro da família será um adulto mais propenso à violência. É papel do Poder Público protegê-las e prepará-las para um futuro de mais felicidade. Não tem legado mais importante do que esse”, disse a prefeita.

Política pública

O desejo de implantar o programa na rede pública segue o recente exemplo de outra iniciativa voltada à primeira infância: o ACT – Criando Crianças em Ambientes Seguros. Pelotas foi a primeira cidade do mundo a desenvolver o programa como política municipal. Atualmente, 14 escolas e serviços de assistência social do Município sediam o projeto, beneficiando 95 famílias.

“Precisamos entregar esta ferramenta para outros servidores públicos, sobretudo, os de carreira, para que possam se apropriar da técnica e contribuir para a perenidade do Pacto Pelotas pela Paz”, frisou Paula, lembrando que a permanência das ações de prevenção à violência na cidade é um dos seus propósitos primordiais.

Caminhos possíveis

Na oportunidade, o grupo estudou a viabilidade de implementar o programa em locais como escolas de Educação Infantil, Caps, Cras, Serviços de Convivência e Fortalecimento de Vínculos e, inclusive, com mães inseridas no sistema prisional. A apresentação do Conte Comigo entusiasmou os profissionais presentes, entre eles, integrantes do Núcleo de Apoio à Saúde da Família (Nasf) e de abrigos municipais. A ideia é organizar a capacitação em duas etapas, a partir do próximo mês.

A possibilidade de utilizar a metodologia não somente para fortalecer mas, também, para recuperar vínculos familiares rompidos foi abordada na reunião, que contou com a presença do secretário interino de Saúde, Leandro Thurow, e do coordenador do Pacto, Samuel Ongaratto.

O que é o Conte Comigo?

Tanto o Conte Comigo quanto o ACT foram introduzidos em Pelotas a partir do Estudo Piá, fruto da parceria entre a Prefeitura e o Centro de Epidemiologia da UFPel. Diferente da contação de histórias, a proposta do Conte Comigo é construir, com crianças de até 6 anos, uma narrativa de acordo com seu nível de conhecimento e interesse.

O livro torna-se, desta forma, ferramenta essencial para o estabelecimento de diálogo e conexão entre pais e filhos. Com eficácia comprovada em países como Inglaterra, Estados Unidos e África do Sul, o programa é responsável por melhorar a concentração, a criatividade, a comunicação e a compreensão do outro, além de desenvolver habilidades de raciocínio e consolidar laços afetivos.

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.