Tripulante de voo da equipe de Bolsonaro é preso com 39 quilos de cocaína

Um tripulante do voo que transportava a equipe avançada do presidente Jair Bolsonaro para a cúpula do G20 no Japão foi preso no sul da Espanha com 39 kg de cocaína em sua mala, informou nesta quarta-feira a Guarda Civil espanhola.

Na terça-feira, durante escala do avião da Força Aérea Brasileira no aeroporto de Sevilha, “o militar foi interceptado, durante um controle, com 39 quilos de cocaína divididos em 37 pacotes” em sua mala, disse à AFP uma porta-voz da força policial em Sevilha; em sua mala, havia apenas drogas”, afirmou.

O próprio presidente anunciou nesta terça à noite nas redes sociais “a apreensão, em Sevilha, de um militar da aeronáutica portando entorpecentes”.

“Caso seja comprovado o envolvimento do militar nesse crime, o mesmo será julgado e condenado na forma da lei”, concluiu o presidente.

Apresentado ante um tribunal nesta quarta-feira, foi colocado em detenção provisória, acusado de cometer delito contra a saúde pública, uma categoria que inclui o tráfico de drogas na Espanha, informou à AFP um porta-voz da justiça de Andaluzia. Ele estava em um avião que precedia ao do presidente brasileiro, que decolou na terça-feira à noite para Osaka, no Japão, para participar da reunião do G20.

Militar preso com cocaína não tinha cargo na Presidência

O que já se sabe sobre a prisão do militar da FAB

Obrigado por participar.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.