Connect with us
https://www.mvpthemes.com/zoxnews/wp-content/uploads/2017/07/zox-leader.png

Brasil & Mundo

Democracia em vertigem, o filme, segundo Déborah Schmidt

Publicado

on

Documentário sobre o processo de impeachment da ex-presidente Dilma Rousseff, considerado um dos reflexos da polarização política e da ascensão da extrema-direita no poder, lançado pela Netflix, Democracia em Vertigem conquistou elogios da crítica após sua estreia no Festival de Sundance, tanto que o jornal New York Times o colocou na lista dos 10 melhores filmes do ano até agora.

Logo em seu início, a diretora Petra Costa assume com clareza seu posicionamento político, enquanto critica alianças e práticas políticas condenáveis adotadas pelo PT. Assumindo um tom mais pessoal, ela narra os principais momentos da política brasileira nos últimos anos, mas faz questão de relatar sua própria experiência durante este período.

A diretora fala sobre a sua infância, a ascensão de Lula e do PT e ilustra a polarização nacional através de sua própria família, composta por avós empreiteiros, de direita, e por pais militantes de esquerda.

Petra Costa se posiciona como personagem e como narradora, com sua voz doce e mansa, entrevistando a própria mãe ao lado de Dilma, visto que ambas foram presas pela ditadura. Petra também dá voz para as pessoas nas ruas e aos membros do congresso. O documentário avança na história, mostrando a eleição de Jair Bolsonaro e as decisões de Sérgio Moro.

A produção conta ainda com o cinegrafista Ricardo Stuckert, o fotógrafo oficial de Lula. Vemos, então, flagrantes de Lula cumprimentando Dilma no instante em que foi anunciada sua primeira eleição, o último dia de Lula e Marisa no Planalto e Lula falando ao telefone que ia ser nomeado ministro da Casa Civil (depois vetado pelo STF). Além disso, momentos de Lula no Sindicato dos Metalúrgicos de São Bernardo antes de se entregar à Policia Federal.

A extraordinária montagem mostra uma sequência curiosa de Michel Temer na cerimônia de posse de Dilma e o olhar de indignação da mesma diante do Congresso na audiência do impeachment. Sem contar nas belíssimas imagens feitas no Palácio da Alvorada e outras com uso de drone que são de tirar o fôlego.

Qualquer que seja sua posição política, todos concordamos a imensa transformação do Brasil a partir de 2013, quando as manifestações populares tomaram conta do país e dividiram a sociedade.

Fatos que iniciaram o processo que levou ao impeachment de Dilma Rousseff, a tomada de poder de Michel Temer, a prisão de Lula e a eleição de Jair Bolsonaro fazem parte da narrativa, que termina antes dos vazamentos das conversas do então Juiz Federal e atual Ministro da Defesa Sérgio Moro com o procurador Deltan Dallagnol.

Mesmo que não concorde com sua abordagem, Democracia em Vertigem é um filme necessário para quem busca repensar a recente história brasileira. Confrontar as diferenças faz parte da democracia, embora a nossa esteja extremamente frágil. Cabe ao espectador analisar e fazer sua própria leitura.

© Déborah Schmidt estudou Administração de empresas

Facebook da autora | E-mail:deborahschmidt@hotmail.com

1 Comment

1 Comment

  1. Fortino Reyes

    01/07/19 at 18:35

    Não, não é um filme necessário. Não assistam essa porcaria.

Obrigado por participar. Comentários podem ser rejeitados ou ter a redação moderada. Escreva com civilidade, por favor. Abç.

Brasil & Mundo

Nota conjunta de Instituições do RS sobre a situação em áreas Kaingang

Publicado

on

As universidades e os institutos federais gaúchos vêm a público apontar a violência que está ocorrendo em áreas Kaingang no Rio Grande do Sul, a qual tem envolvido também estudantes de nossas instituições.

Temos relatos de perseguição, tortura e mortes nas terras indígenas de Serrinha, motivados por arrendamentos ilegais. É necessário que respeitemos os povos indígenas, suas culturas e modos de viver, e que possamos nos unir por melhores condições de vida em um planeta ameaçado tanto do ponto de vista ambiental quanto das relações sociais.

Enquanto instituições formadoras de pessoas e profissionais, é nossa responsabilidade defender os direitos humanos, culturais, sociais e de vida digna.

Nesse sentido, esperamos que as instituições competentes enfrentem essa dura realidade, coibindo o arrendamento ilegal de terras indígenas, causa principal para essa escalada de violência na região, evitando mais tragédias e sofrimento.

Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Farroupilha – IFFAR
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Rio Grande do Sul – IFRS
Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense – IFSul
Universidade Estadual do Rio Grande do Sul – UERGS
Universidade Federal de Ciências da Saúde de Porto Alegre – UFCSPA
Universidade Federal do Rio Grande – FURG
Universidade Federal de Santa Maria – UFSM
Universidade Federal de Pelotas – UFPel
Universidade Federal do Pampa – UNIPAMPA

Continue Reading

Brasil & Mundo

Autor de livro sobre Marielle é assassinado no Rio

Publicado

on

O escritor e capoeirista Leuvis Manuel Olivero, de 38 anos, foi assassinado enquanto caminhava na Barra da Tijuca, no Rio de Janeiro. Ele era autor de 11 livros, um deles sobre Marielle Franco. Segundo testemunhas, os tiros que balearam Leuvis partiram de um carro em movimento. O crime ocorreu no dia 10 de outubro. A polícia ainda não sabe a motivação do homicídio.

Além de homenagear Marielle, Leuvis aponta, no seu livro, a relação das milícias cariocas com o assassinato da ex-vereadora e do motorista Anderson Gomes. Segundo a rádio Band News, outra das suas 11 publicações critica o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

Continue Reading

Brasil & Mundo

Bolsonaro prepara auxílio emergencial de R$ 400

Publicado

on

O governo federal decidiu que o valor do Auxílio Brasil passará de R$ 189, em média, para R$ 400, e contemplará 17 milhões de famílias, de dezembro deste ano a dezembro do ano que vem.

De acordo com a CNN Brasil, o governo deve anunciar a mudança nesta terça-feira (19).

Parte desse valor será pago com recursos do atual Bolsa Família e parte será um auxílio temporário. Serão gastos R$ 84 bilhões, sendo R$ 34,7 bilhões do orçamento do Bolsa Família e mais R$ 50 bilhões do auxílio temporário.

Com o reajuste, Jair Bolsonaro pretende conter a sua alta rejeição nas pesquisas de intenções de votos. 

Continue Reading

Em alta